Sexta-feira, 03.06.16

O ex-seminarista José Eduardo Alves Jana descreve na última folha oficiosa o falecimento da Senhora Dona Maria Ramiro de Sousa Falcão Farinha Pereira Marques Godinho e dá-a como fundadora da

mira ja junho 2016.png

da Juventude Católica abrantina, aí por 1938-39.

 

Como devia saber o licenciado (devido aos seus estudos eclesiásticos) a Acção Católica daquele período só podia funcionar com um Assistente Religioso,  e a partir duma directa acção dum sacerdote.

O bom padre que fundou a Acção Católica em Abrantes e portanto o seu ramo juvenil foi este homem,

padre roque 2.png

 Rev.Padre Joaquim Proença Roque, Pároco de S.João, que uma morte precoce (um cancro) levou cedo. A sua acção social foi notabilíssima. A Tia Mira foi fundadora da Juventude Católica abrantina, mas com ela estavam:

 

as Senhoras Dona Maria de Lourdes Oleiro e o marido o Sr. Soeiro (os pais da Madalena Oleiro e do Mário), as Senhoras Donas Ermelinda Coelho (felizmente viva e tão decana da assistência social como a Mira), Manuela Monteiro, Maria Manuel e Maria de Jesus Serras Pereira, os snrs Beja Filipe e Mário Roldão.

 

Certamente me escapa algum nome, peço desculpa pelas omissões e serão bem-vindas lembranças.

 

Mas nunca a  Mira Godinho ou a Ermelinda Coelho esqueceriam um homem de bem, como foi o P.Roque.

 

Que tenha de ser um blogue alérgico ao catolicismo a lembrar isto, só demonstra a falta de memória da Igreja de Abrantes.

ma            



publicado por porabrantes às 21:52 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.05.16

mira godinho.png

Faleceu, com 96 anos, a Senhora Dona Maria Ramiro de Sousa Falcão Farinha Pereira Marques Godinho, viúva do regente agrícola Fernando Pimenta Marques Godinho. Há uns tempos que andava mal de saúde, mas com a sua vigorosa vontade de viver tinha-se recuperado recentemente duma pneumonia, e voltara à sua casa, à beira do Hotel Turismo de Abrantes.

A primeira palavra tem de ser a de dar os sentimentos às suas filhas, D. Bela Godinho Alberty e D.Teresa Godinho Correia Leitão, aos seus genros, o Zé Alberty e o Prof. Doutor Maximino Correia Leitão e aos netos.

Já falámos aqui nela várias vezes . Outro dia evocou-se aqui a história do Colégio de Fátima, quando ainda funcionava na Casa de Santa Maria. A Mira estudou lá com a Ermelinda Coelho,que por acaso além de Professora primária ilustre, foi depois foi directora dessa Casa.

Cresceu e viveu aqui até casar, na Praça Raimundo Soares, nº 17, onde viviam os pais.

raimundo 17.jpg

 

 

Fundamentalmente foi uma mulher cheia de personalidade,   de gosto de viver, energia, classe e senhora do seu nariz.

Era um católica empenhada.

Além de se dedicar à família, sempre esteve preocupada pelas obras de caridade, aquilo que agora o politicamente correcto chama ''causas sociais''.  

 Com algumas amigas fundou e ajudou a dirigir, na Cidade, o MNF (Movimento Nacional Feminino) que apoiava os soldados que Salazar mandara combater em África. Era um turbilhão de energia no apoio aos combatentes.

Também se destacou por ser Servita, apoiando os caminhantes a Fátima.... com garbo e carinho.

Tudo isso, arranjando tempo para ser grande animadora de tertúlias chá-canasta no Hotel Turismo de Abrantes,com a D.Fernanda Mena, a Dona Maria Cristina Ataíde (a mãe do arquitecto Duarte Castel-Branco), a D.Castelinho Calheiros de Azevedo, e outras amigas cujo o nome me escapa.

Viu  o fascismo matar-lhe o sogro, o General Godinho em 1947. Viu ainda a sogra, D.Palmira  Godinho ser presa, bem como o cunhado, o Dr.Alfredo,  pelo simples ''delito'' de reclamarem justiça.

Só depois de muito pressionada contava essas trágicas memórias. 

Também viu as suas herdades ocupadas pelas ‘’amplas massas’’ que queriam transformar o Sul do País numa Bulgária (Jaime Gama dixit no Parlamento) para abrir o caminho para a Ditadura.

E viu mais coisas que não narrarei.

Ao longo de quase um século de vida vêem-se muitas coisas, umas boas, outras más, outras assim-assim.

Depois de uma longa doença, onde nunca perdeu um sarcástico sentido de humor e a ‘’joie de vivre’’, morreu o Fernando.

 

mira.png

 Mirante

 

A Mira ficou viúva e vimo-la, enérgica e jovial como sempre, dedicada à família e militando voluntariosamente em apoiar os doentes no Hospital Manuel Constâncio e noutras causas sociais. Este activismo fê-la ganhar notoriedade e reconhecimento público, sendo entrevistada frequentemente pelos medias, como foi o caso do Mirante, donde retirámos a sua foto.

 

A lição da Mira foi não se render nunca e viver quase um século fiel aos valores em que foi educada.  

 

Há certamente peripécias engraçadas na sua vida que seriam saborosas de contar, mas não é evidentemente o momento.

Vai amanhã a enterrar.

mn

 



publicado por porabrantes às 18:01 | link do post | comentar

Sexta-feira, 12.06.15

 

 

A história do crime regional também tem direito de cidade. Era 1904 e o padre António Silva Martins apanhou certamente o maior desgosto da sua vida.

silva martins.jpg

Boletim CM Sardoal

Estava em Abrantes quando lhe telefonou o primo, padre Dr. Manuel Martins, homem dado à política (era da facção progressista liderada por Solano e foi ele que se enfrentou ao Dr.Bairrão do Tramagal quando este analfabeticamente demoliu o Convento da Graça)

A família Martins dera muitos padres e eles tiveram uma influência política e religiosa enorme na região desde finais do século XIX até meados do século XX. Entre eles o padre Raposo, tão injustamente caluniado pelo Martinho Gaspar naquele opúsculo em que fala da República abrantina.

padre sardoal.jpg

Sardoal, zona demarcada de produção de padres e seminaristas, casa da família Martins

 

Que disse o P.Manuel Martins ao primo?

Anda depressa pró Sardoal!

Chegou lá e descobriu que o irmão, o Sr. Dr. José  Silva Martins, digno secretário do  Governo Civil de Portalegre (certamente para lá nomeado com sonora cunha clerical-progressista), atacara a mãe à machadada.

foto.jpg

 

foto.jpg

 

 

O Echo do Tejo fez larga reportagem do assassinato

crime.png

Dizia o jornal progressista que o Dr. José Martins já estivera internado no manicómio, para onde fora levado pela comissão clerical local (ou seja pela família, que na prática era um soviete de padres) e que estava chateado com isso.

A versão do ''Echo'' é que tivera novo ataque de loucura e que pegara no machado e pumba, decapitara a mãe!!!!

Tudo o que  se conta foi publicado no excelente blogue ''Sardoal com Memória'',da autoria   do estudioso e investigador Sr.Luís Manuel Gonçalves. Para conhecer a história do século XIX na região é a melhor fonte. Luís Gonçalves é autor de vários livros sobre História do Sardoal.

O padre Martins depois seria Pároco de São Vicente de Abrantes, elevado ao Cabido da Sé de Portalegre, fundador dum colégio de freiras franciscanas na R.Actor Taborda (onde está a Casa de Santa Maria) entre cujas alunas temos entre nós, frescas e juvenis, a Senhora Dona Maria Ramiro Godinho e a Senhora Dona Ermelinda Coelho.

Mais tarde as Franciscanas deram o fora e o Cónego, juntamente com Manuel Fernandes e outros, fundaram o actual Colégio de Fátima, que confiaram às Doroteias, que ainda não descobriram quem fundou esse Colégio.

Falo das actuais, conhecidas promotoras imobilárias, e não doutras como a Rev.Madre Borghi ou a minha amiga Rev. Madre Moutinho, que fora aluna do David Mourão Ferreira e que contava histórias deliciosas como o poeta engatatão apareceu envolvido num estranho caso duma tese universitária de autor incerto.

O Cónego Silva Martins foi um homem duro, piedoso, culto, empreendedor, nacional-clerical (longe andavam os tempos em que politicara com o boémio Solano, às ordens de José Luciano de Casto....), sério e certamente marcado pela tragédia familiar.

Comparar Silva Martins com o borra-botas José da Graça é como comparar Deus com o Diap.

A Igreja de Abrantes anda hoje, não pelas ruas da amargura, mas pelas secretarias do DIAP.    

MN

 



publicado por porabrantes às 13:00 | link do post | comentar

Domingo, 14.08.11

O sr.dr. Gaspar é o director da Zahara e candidato nº2 ao Prémio Estrela da Semana.

 

 

o galardão mais ambicionado por políticos, socialites rústicos (as), intelectuais de sacristia, poetisas da ''Nova Aliança'', empresários tipo

 

      

 

e condes da treta metidos a artistas de Lego.

 

 

Como director deve exercer a autoridade (republicana, como a da Guarda) e não permitir disparates na revista.

 

Leiam isto:

 

 

Diz-nos o Gaspar que um texto enviado pelo autor em condições ''óptimas'' e pronto para publicar foi assassinado e publicado em condições vergonhosas por essa revista não se sabe muito bem porquê.....

 

O Gaspar sustenta que para o facto ''não há explicação plausível''.

 

O Gaspar é um exemplo da retórica positivista, a mesma que estava na cabeça dos ''grandes vultos'' republicanos que ela gosta de biografar e que conduziram à gloriosa série de disparates que caracterizaram a política lusa de 1910-1926.

 

Mas nenhum republicano abrantino dessa época que fosse director dum jornal seria capaz de justificar uma miserável série de gralhas que saísse num jornal da sua responsabilidade como o ''Abrantes'' ou o ''Jornal de Abrantes'' dizendo que para os erros não havia''explicação plausível''. 

 

Ou assumiam a responsabilidade, ou atiravam-na para o tipógrafo

 

 

ou num caso mais ousado acusariam o ''Padre Raposo'', besta-negra da Formiga Branca abrantina de provocar tal provação.

 

Agora sustentar que para um facto corriqueiro, que se já repetiu na Zahara através da evaporação milagrosa da mulher do Dr.Orlando Pereira, a minha querida tia Fernanda, do texto duma entrevista de Eurico Consciência...

 

  ribatejo

 

 '....'não há explicação plausível'' é próprio duma mente pouco positiva ou dum senhor que quer alijar responsabilidades.

 

Porque a paginação da revista é feita segundo a ficha técnica por um tal José Martinho Gaspar que pelo nome me parece corresponder ao nº3 do ranking de historiadores da pitoresca freguesia do Souto.

 

A explicação plausível é que foi o Gaspar que deu buraco ou então subcontratou o serviço a um anónimo e lá se deu a explosão ortográfica!!!!

 


 

explosão ortográfica na revista Zahara 

 

  

O Gaspar pede desculpa ao Sr.Dr. Correia Pais, que o fustigou com toda a razão pela sua incompetência, mas ao leitor que teve de esportular 5 euros pela revista não apresenta desculpas.

 

Para o Gaspar os leitores são criaturas de segunda classe!!!!

 

Em compensação o Gaspar, serviçal, apresenta desculpas a um tal ''dr.'' Candeias Silva, sem verificar que está a ofender o homem.

 

Jornal de Alferrarede

 

O discípulo do fascista Veríssimo Serrão faz gala em ser Doutor e deve estar com uma crise de nervos por lhe chamarem licenciado...

 

Quem pagará a crise?

 

O Gaspar????

 

 a barca

 

 

(o popular Gaspar, candidato em maus lençóis a estrela da semana) 

 

Além do mais era o Candeias que devia desculpas em primeiro lugar a este senhor:

 

 foto cedida pelo seu bisneto Dr.José António Risques Pereira,amigo da petição

 

 

 

O Senhor Prof. Doutor Zeferino Falcão, dono do solar de Santa Bárbara em Punhete

 foto igogo

 

Professor catedrático da Universidade de Medicina de Lisboa a quem no artigo citado no texto reproduzido chama licenciado enquanto o autor  se auto-classifica como doutorado.

 

Não é por nada, mas nunca Vitorino Magalhães Godinho se apresentou a si próprio como Professor Doutor. Nem ele, nem António José Saraiva nem José Augusto França.....

 

Da mesma forma deve Candeias  apresentar desculpas a esta Senhora e aos leitores por outras enormidades contidas no artigo referido

 

 o Mirante

 

à Senhora D.Maria Ramiro de Sousa Falcão Farinha  Pereira Marques Godinho mataram-lhe o sogro e prenderam-lhe a sogra, os cunhados e perseguiram o marido, um bando de fascistas capitaneados por Santos Costa

  foto Coisas de Abrantes

 

e com um descaramento, típico dos revisionistas que sustentam que não houve Holocausto, Candeias não refere que houve uma queixa-crime por homicídio contra Santos Costa que originou as prisões referidas.

 

O General morreu tranquilamente num Hospital militar porque coitadinho estava doente...

 

Compre V.Exa as memórias de Adriano Moreira

 

am2

 

e verá o que diz este homem. Dá uma versão parcial, mas continua a sustentar que Santos Costa é o responsável por ''dolo eventual'', por aquilo a que eu chamo o assassinato de Marques Godinho.

 

Para terminar com o Gaspar, digo-lhe que isto prejudica muito seriamente a possibilidade de que alcance o estrelato esta semana.

 

Miguel Abrantes 

 

Ler aqui post do malogrado José Luís Saldanha Sanches sobre  as memórias de A.Moreira



publicado por porabrantes às 11:44 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

O Senhor Padre Joaquim Pr...

Morreu Mira Godinho

o assassinato da mãe do c...

A revista Zahara no seu ...

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12

18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds