Terça-feira, 26.06.18

Na Rádio oficiosa vieram dizer que afinal foram três mil visitas ao Museu da MDF em 2017.

Não foram, a fasquia dos 3 mil não foi alcançada.

Apenas 2.527 visitantes meteram lá os pés segundo este documento oficial ....

museu mdf

Fonte :Contas da CMA/2017-página 19

 

Mas o flop monumental é da Galeria Quartel que só teve 1.102 visitantes   ou seja 3 por dia....

E dizem que os Museus como este trarão visitantes à terra, está visto que não...

São estes números fiáveis???

Não são.....na mesma página, umas linhas acima dizem que foram 3.000 ''só no primeiro semestre''.

museu mdf 2

Se os documentos oficiais oferecem dados contraditórios, não é de espantar que os da rádio andem baralhados no meio desta baralhação.

Disse na AM a propagandista da cacique, Piedade Pinto, que as contas eram um documento ''técnico'', muito bem feito, só acessível de interpretar a um ROC.

Ora bolas..... para descobrir dados contraditórios logo à primeira vista, sem lupa, não é preciso ser estudioso da contabilidade, basta.......ler o documento.

Regresso ao título.........está baseado na primeira citação, esperemos que seja confiável....

mn 

 

 



publicado por porabrantes às 16:54 | link do post | comentar

Domingo, 24.04.16

Do blogue Arpose,  reproduz-se a crónica dum turista que visita Abrantes, em Abril de 2016

 

''Abrantino, pequeno, mas arranjadinho

 
 
Em abono da verdade, eu teria de dizer que, entre mim e os habitantes da cidade, houve alguns equívocos locais. Quando eu saía da igreja degradada, no centro da cidade, uma senhora fulva, que parecia celta, e de cabelos inflamados pelo vento, perguntou-me, sardenta: "Sabe se o Padre está lá dentro?!" Eu respondi, intimidado, e confuso: "Não sou de cá. Só vi 6 mulheres a entoar o Pai-Nosso..." Pouco depois, no Largo a seguir, uma nativa de óculos, interpelou-me, concisa: "Por onde é que eu posso ir à Brancolina?". Envergonhado, voltei a repetir: "Desculpe, mas não sou de cá..."
No fundo, foi uma espécie de paga, porque para chegar ao Museu (afinal, inserido numa bonita igreja do Castelo de Abrantes) foi preciso perguntar a 4 abrantinos a direcção do dito. Dois não sabiam, o terceiro tinha apenas uma vaga ideia; só o quarto me foi útil e preciso, na informação... Lá subi penosamente até à fortaleza e fui dar ao Parque Radical, para crianças, nessa altura deserto das ditas. À esquerda, porém, havia mais escadas que, embora íngremes e de degraus mais altos, eu galguei, esperançado pela recompensa museológica. Depois da sala dos Governadores, lá a tive, finalmente.
A igreja de Sta. Maria do Castelo foi o panteão dos primeiros marqueses de Abrantes. Os túmulos iniciais, sumptuosos, do séc. XV, têm traça gótica a exemplo dos da Batalha. O último, mais discreto, é renascentista. Na igreja se constituiu, em 1921, o museu da cidade. Pequeno, mas cuidado, com algumas imagens em pedra de Ançã, paramentos religiosos e uma vitrine numismática, com moedas que vão da época romana até ao século XIX. Saindo e subindo mais um pouco, vale a pena desfrutar o horizonte magnífico e amplo, do alto do castelo.
Depois, desci. Num dos largos da cidade calhou assistir a uma cerimónia evocativa do Dia do Combatente, lembrando a batalha de La Lys. Tive direito a ouvir o Hino Nacional, o toque a silêncio e o toque de alvorada, executado pelo corneteiro militar. Como se diz, desde as invasões napoleónicas: "Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes"...
 

 com a devida vénia

a redacção



publicado por porabrantes às 16:01 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 27.07.15

Ainda não li quem é o responsável pela concepção museográfica da exposição que está em Santa Maria do Castelo.

Só sei que esconder, debaixo dumas faixas de plástico '' didácticas'', um dos mais belos túmulos góticos de Portugal, é uma solução que não lembra ao Diabo.

A maior parte das pessoas de todo o país que vai a Santa Maria, vai ver os túmulos dos Almeidas, quase únicos em Portugal, não vai ver plásticos

castelo plástico.jpg

castelo plástico.jpg

 

mn



publicado por porabrantes às 22:06 | link do post | comentar

Terça-feira, 16.09.14

Continuamos a dar conta da situação das reservas do Museu D.Lopo segundo a drª Armanda Chaleira.

 

 

 

 

 

 I volume, p. 191 da tese da Drª Charneca

 

 

foto 2º volume tese da Drª Chaleira

 

 

 

 

I volume, p. 191 da tese da Drª Charneca

 

Temos portanto que dum lugar nobre (o Edifício Carneiro que a CMA chegou a oferecer a Lucília Moita para lá fazer o Museu Moita) se evacuaram as peças para o lado do depósito municipal no Vale das Morenas

 

E onde ainda se encontram instaladas indústrias que tratam lixos como a Valnor e ainda outras que trabalham com produtos químicos

 

 

 

A memória de Abrantes (as reservas mais o Arquivo Histórico Eduardo Campos) ao lado do Ecocentro.

 

E se há um acidente? E se há uma explosão?

 

Lá se vão as peças ! Estantes de missais, talhas de madeira, cerâmicas!

 

Eclipsa-se a nossa memória, em nome do baseball!!!! 

 

E a paisagem era apetecível em frente do Arquivo, quando se fez este post. Era assim:

 

  

 

Tudo isto para instalar no Edifício Carneiro a Federação de Baseball a quem entretanto o Governo retirou a utilidade pública.

 

Vou deixar para outro dia o estado ruinoso de muitas das peças do Museu D.Lopo, segundo o Inventário a que tive acesso.

 

E  quem  mandou os tesouros artísticos da Cidade para a Zona Industrial, é a que quer reabilitar o Centro Histórico (com um programa absurdo made in Carrilho da Graça) e construir um Museu de referência internacional (!) !!!!

 

Francamente acham que o Prado ou o Louvre, ou o MNAA tem as reservas numa zona industrial, ao pé dum centro de tratamento de lixos?

 

MN  



publicado por porabrantes às 12:20 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.09.14

 

 

 

 

 

 

(...)

 

reproduzido com a devida vénia da tese de Mestrado de  Maria Armanda Paixão Charneca que leva o título ''Uma rede de Museus para Abrantes'', Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes, Lisboa 2005

 

A tese está on-line

 

A tese é interessante mas tem alguns erros ( algum inadmissível, atribuível quem sabe ao orientador Fernando Baptista Pereira, que devia ter corrigido esses erros) que serão aqui rebatidos, mas constitui uma obra válida sobre o património cultural

 

Nos fragmentos reproduzidos ( texto do 1º volume página 190-191, fotos do 2º volume) há uma valente denúncia do estado em que a autarquia mantinha o espólio artístico, do Museu, bem como a autarquia, quase sempre PS, ao longo dos anos tinha descurado a nossa memória.

 

Naturalmente recordarei que foram foram directores do D.Lopo, Lucília Moita e Joaquim Candeias  Silva depois do 25 de Abril.

 

O que importa é saber como está a coisa agora.

 

E os Vereadores da Oposição exigirem uma visita às Reservas para saber  como se conserva a nossa memória.

 

MN

 

    

 

 



publicado por porabrantes às 13:27 | link do post | comentar

Sábado, 10.05.14

 

 

 

Margarida    disse sobre Arqueólogos da CMA/IPT descobrem que os romanos faziam estátuas templárias  na Quinta-feira, 8 de Maio de 2014 às 13:42:

 

     

Concordo com praticamente tudo aquilo que foi escrito no texto acima, há exepção de uma pequena coisa. Segundo aquilo que ouvi, o Dr. Álvaro Baptista não foi excluído de nada, pelo contrário ele auto-excluiu-se, visto que há vários anos que nenhum trabalho faz para câmara de Abrantes. Sim ele é excelente na área, e provavelmente o melhor, mas não foi citado nesse trabalho, porque não participou nele. De resto concordo. A escavação em torno do castelo foi vergonhosa e o IGESPAR, deveria ter interferido.

 

 

Cara Margarida:

 

Desculpe o atraso em responder-lhe. Estamos de acordo em quase tudo e suponho que depois dalgumas novidades que espero  tenhamos tempo para publicar aqui, que continuemos de acordo.

Publicarei na segunda-feira um texto do Álvaro Batista, que espero que faça alguma luz sobre o afastamento deste distinto arqueólogo desses cursos  onde se confunde o  cu com as calças (desculpe a expressão) ou seja Decio Junius Brutus com Gualdim Pais.

Mas acho que não é o Álvaro que se afastou,  acho que afastaram o Álvaro.A quem faz confusões que dariam um chumbo liminar na quarte-classe, era melhor mandá-los ler os clássicos, começando pelo Plínio, mas vou-me contentar com o prestigiado discípulo de João Manuel Bairrão Oleiro, o  Prof. Alarcão, da Universidade de Coimbra, que apesar de desconhecer alguns pormenores dos meandros da arqueologia  local   diz acertadamente o seguinte (...)''  A estátua (Souza, 1990, p. 53, n.º 147), feminina e acéfala, foi achada nos inícios do século XX no interior da igreja de Santa Maria do Castelo, a um metro de profundidade, numas escavações que então se fizeram (...)'' e remete como fonte para este autor: '

SOUZA, V. (1990) -Corpus Signorum Imperii Romani, Portugal. Coimbra: Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras

 

 

 

Como é o que V.Souza escrevendo em 1990 sabia isso ? Incluindo a  profundidade a que estava a estátua? 

 

 

Passo a citar directamente Diogo Oleiro no ''Abrantes Cidade Florida'', página 9: '' No interior da Igreja de Santa Maria do Castelo, à profundidade  de cerca de um metro, apareceu uma estátua romana descabeçada, que se encontrava em posição horizontal e actualmente está exposta no Museu, como uma das suas mais valiosas peças'' (....)

 

Isto é o V.Souza repete apenas o que disse Diogo Oleiro.  Na página 63 acrescenta Oleiro ''  estátua romana descabeçada, de mármore lindamente drapejada, um dos raros exemplares daquela época entre nós'' (...).

 

O Prof. Bairrão Oleiro descreveu longamente a estátua em artigo já aqui publicado onde inclusive diz a data em que se achou a estátua : 24 de Outubro de 1911.

 

 

 

 

 

 Como é que o Prof. B.Oleiro sabia isso?  Em 1911 não tinha nascido.Naturalmente porque o pai dele, Mestre Diogo Oleiro o tinha apontado, e as inúmeras fichas e apontamentos que fez sobre arqueologia abrantina estão como já disse aqui, num sítio que eu sei e também o sabem  alguns dos curiosos que escrevem no Jornal de Alferrarede sobre arqueologia local.

 

De maneira que o Professor Alarcão devia ter citado o que foi seu Professor e antecessor na direcção da estação de Conímbriga, e certamente não o fez apenas por não ter à mão o recorte  aqui publicado.

 

Publica-se de seguida uma grande foto duma estátua romana de Santa Maria do Castelo da autoria do nosso amigo Cidadão Abt.

 

   

 

 Cara Margarida, desculpe ter sido tão prolixo a responder-lhe, mas de facto há coisas lamentáveis: o blogue (interessante) do Sr.Oliveira Viana diz isto:

 

 

O que está a vermelho é igual a

 

 e é da autoria do Professor Alarcão, o Sr.Oliveira Viana esqueceu-se de lá meter umas aspas e de citar o autor da frase,  que por certo foi professor na EICA abrantina nos seus inícios.

 

 

Bom Sábado

 

MN

 

PS- A foto da estátua encontrada no Castelo é do Senhor Camilo, que além de distinto sportinguista, montou uma barbearia toda verde, onde eu fui cliente e educado nos verdadeiros valores desportivos ou seja na crença inabalável que o SCP é o melhor...    



publicado por porabrantes às 16:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

D.Lopo bate ''melhor muse...

''Abrantino, pequeno, mas...

Plastificar os Almeidas

O raio das reservas do Mu...

O raio das reservas do Mu...

O escabroso da estátua te...

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12

18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds