Quinta-feira, 08.12.16

Vamos continuar na secção de elogios, sendo agora objecto desta meritória actividade a arqueóloga Filomena Gaspar, que trabalha na CMA (e que algum dia teremos de criticar, mas agora vai ser elogiada).

filomena gaspar miaa.jpg

Em 2006 fizeram-se por encargo da Tagusgás umas escavações na Ferraria, que esta notícia relata

ferraria.jpg

ferraria escv.png

 Da notícia apura-se que não se puderam identificar os silos descobertos porque estavam ''encharcados''.  E que encontraram as estruturas duma Casa nobre, que pertencia à família Pais do Amaral (no século XIX) que a trocou (a casa estava arruinada) por uma propriedade camarária chamada ''Chão da Relva'' ou ''Relva do Brás'' (?). A CMA demoliu as ruínas para criar o Largo da Ferraria.

As declarações feitas pelo dr. Batata (casado com a D.Filomena). dizem que haveria interesse em continuar a exploração. A D.Filomena diz que haveria todo o interesse em musealizar os ''silos'' e ''deixá-los à vista''.

Depois disso foi entregue à tutela o relatório que diz:

     ''Durante os trabalhos de escavação foram identificados seis silos associados a uma grande quantidade de material islâmico. Na área escavada foi ainda possivel identificar as aspatas de uma estrutura, ao que tudo indica, de tipo palacete, ou casa solarenga, de grande porte, com fundações extremamente robustas. O edifício datará do século XVI, inícios do século XVII e terá um período de vida que terminará no inicio da segunda metade do século XIX. O local foi, posteriormente, aterrado e regularizado para a construção de uma praça com o pelourinho'' afirma responsável do relatório, Nelson Silva Borges

 

Aqui há uma calinada monumental, porque na Ferraria nunca houve nenhum pelourinho e o padrão que lá está, foi transferido da Raimundo Soares, por Nelson Carvalho, depois dum simulacro de referendo, que consistiu em espalhar uns papelinhos por cafés e tascas do cabeço, para o povo opinar.

 

 

A escavação só durou 6 dias  e a depois a Câmara do Carvalho e da Isilda Jana mandaram tapar os buracos e a sugestão de musealizar os silos, caiu em saco roto.

 

Da mesma forma, os silos da Rua Grande também nunca foram musealizados.

 

Dizem que havia ''grande quantidade de material islâmico'', cá para mim só acredito quando houver  um especialista dessa área a atestá-lo. Mas se havia ,era tal o interesse arqueológico, que os trabalhos deviam ter prosseguido, dado quase nada sabermos desse tempo na História de Abrantes.

 

Mas a Vereadora Isilda, com o seu conhecido apego à Cultura, mandou tapar o buraco!!!!!

mn 

créditos: Vera Vicente, que escreveu o artigo no saudoso ''Primeira Linha''

PS-Por lapso, tinha-se trocado o apelido da Vera, as nossas desculpas

 



publicado por porabrantes às 20:28 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 16.03.16

 

 

acumulação 4.jpg

 O Relatório do Igal-Inspecção-Geral da Administração Local  (2010) que nos foi facultado por um conhecido arquitecto, militante da direita pura e dura (antes foi do partido do Paulinho dos submarinos) é determinante... 

A cacique de Casais de Revelhos,  não analisou minimamente ''dados que, efectivamente, permitam demonstrar que a acumulação com funções privadas não põe em causa o interesse público''.  

Quem são os funcionários envolvidos?

Estes?

acumulação.jpg

 

acumulação 2.jpg

 

maria do céu (2).jpg

 

acumulação 3.jpg

Acontece que resolvi verificar por documento oficial que o inquérito que me fornecera o Arquitecto era verdadeiro. Era. De forma que se reproduz parcialmente o que foi fornecido pelo Arquitecto, com a conclusão do IGAL, a senhora cacique não analisava ''minimamente'' os casos de acumulação de funções privadas com públicas.

 

O minimamente é do IGAL, autoridade imparcial.

 

A lista termina pelo Sr.Pedro Camarinha dos Reis que acumulava funções públicas com privadas.

 

Onde ???

 

Não se sabe, diz o relatório. É isto claro? Não, não é claro.

 

Mas, menos claro é que a arqueóloga municipal fosse à data sócia-gerente da Ozecarus, LDA. A senhora doutora chama-se Filomena Gaspar.

 

ozecarus facturação.png

A Ozecarus tem sede na terra da cacique, Casais de Revelhos e tinha 2 sócios.

 

A Filomena com uma quota de 1.000 € e o marido o Carlos Batata com 4.000 euros. Os dois eram gerentes.

 

Para  acumular as funções que desempenhava, que implicaram lidar com  peças da Fundação Estrada e gerir a empresa familiar, enquanto o marido via um livro editado por outra instituição ligada a esta, a Filomena devia aparentemente ter de pedir licença à cacique. e segundo a lista do IGAL não pediu.

 

Quanto aos moralistas que dizem que esta lista não podia ser publicada, respondemos nós que a Lei obriga a Autarquia a publicá-la anualmente. Tem de estar on-line.

 

Quanto à cacique não analisar ''minimamente'', é o que nos habituou. O desastre.

ma   

 

outro dia foi processada pela CMA uma senhora que limpava escadas sem licenças. É natural a senhora não era de Casais dos Pategos  



publicado por porabrantes às 18:27 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.08.14

Como é sabido foi castigada a Senhora Dona Teresa Gil Duarte por limpar escadas sem licença da cacique e ainda por não ter licença camarária para acumular funções públicas com a honesta profissão de mulher-a-dias.

 

 

Foi publicada aqui a lista dos funcionários municipais que a 31-12-2012 tinham licença para acumulação de funções. E volta-se a publicar a lista

 

 

 

 

Esta lista está publicada nas contas municipais de 2012,

 

 

  

Na lista há autorizações para acumulações de funcionários para serem empregados de limpeza mas também há para serem sócios gerentes de empresas.

 

E para serem sócios de empresas.

 

Esta autorização última é desnecessária. 

 

Só estou a falar de funcionários, mas deixarei traçada a pergunta se a Lei também é para aplicar a Vereadores (ou a Presidentes da Junta) a tempo inteiro.

 

É injusto condicionar os funcionários e deixar os políticos à rédea solta. Deixando-os, temos casos de barracada, como é o caso da sonora insolvência de Paulo Fonseca.

 

 

Na lista dos funcionários autorizados a acumular funções privadas não figura a Srª Drª Maria Filomena Santos Gaspar.

 

Que no entanto detinha uma quota de mil euros na OZECARUS - SERVIÇOS ARQUEOLOGICOS, LDA, que tem a sua sede na bonita localidade de Casais de Revelhos donde é natural a Exma Srª Drª Presidente da Câmara.

 

A Ozecarus tem um capital de 5.000 euros e a Drª Filomena Gaspar detinha 20% e era sócia gerente à data da publicação da lista.

 

A Sociedade foi constituída em 2002 e como me refiro a 2012 tinha entregue as suas contas na Conservatória de Registo Comercial de Abrantes a 6-8-12.

 

A Drª Filomena Gaspar residia na R.A, Lote 72 na bucólica localidade natal da líder natural do concelho e curiosamente a empresa tem sede no mesmo local.

 

O telefone da empresa é o nº  241362817.

 

Ainda não telefonei para lá. Não quero correr o risco de ir perguntar: Fazem uma escavação arqueológica no meu quintal? E de lá dizerem que é uma residência particular.

 

A Drª Filomena é técnica superior da CMA na área de arqueologia.  

 

Qual foi a empresa que  trabalhou para a CMA designadamente numa escavação na Rua Grande onde foram encontrados uns silos medievais, que a Isilda Jana prometeu deixar parcialmente à mostra e que algum ignaro mandou tapar?

 

Sobre os silos há uns diálogos hilariantes numa acta municipal entre o laranja dr.Pedro Marques e a Isilda.

 

Nesta mesa-redonda a Filomena Gaspar perora sobre o MIAA e o outro sócio gerente da Ozecarus faz o mesmo, mas ela identifica-se 4 Câmara Municipal de Abrantes: projecto MIAA - Museu Ibérico de Arqueologia e Arte.'' E o dr.Carlos Barata, como representante da Ozecarus.

 

Acontece que ela se esqueceu de dizer que era também gerente da Ozecarus.

 

 

 

É público e notório que a Ozecarus teve actividade em 2012. 

 

 

 

 

A Ozecarus foi a feliz contemplada pelo Alves da RPP para escavar o Casal Curtido e o Alves não lhe pagou a conta toda.

 

 

 

 

Talvez já chegue de falar sobre a Ozecarus e a sua sócia gerente e funcionária municipal drª Maria Filomena, e traçar a pergunta: porque é que a Srª Drª Maria Filomena Gaspar não figura na lista acima reproduzida???????

 

Explicam-nos????

 

a redacção

 

ps-diz a Suzy que deve ter sido mero esquecimento

 



publicado por porabrantes às 15:36 | link do post | comentar | ver comentários (1)

 

 

Agudiza-se diariamente a situação de instabilidade e precariedade que tem marcado as condições de trabalho no sector da Arqueologia em Portugal, por isso é cada vez mais premente e necessário que os trabalhadores se unam, organizem, ajam e lutem pelos seus direitos.

 

A prática corrente de utilização de trabalhadores em situação precária, concretamente, através da generalização dos falsos recibos verdes tem gerado, para além da instabilidade decorrente deste tipo de "contratação", situações de incumprimento por parte dos empregadores.

 

São comuns os casos em que os trabalhadores se vêm confrontados com más condições de trabalho no exercício da sua profissão, agravadas por atrasos e ausência de pagamento dos salários acordados. No que concerne às grandes obras públicas, que requerem um elevado número de trabalhadores, estas circunstâncias são ainda mais alarmantes.

 

Desta forma, são vários os trabalhadores que, em protesto, se vêem forçados a suspender a sua actividade laboral. É o caso dos trabalhadores de Arqueologia da empresa Ozecarus, a desenvolver trabalhos em Beja, que se encontram paralisados até verem regularizada a sua situação.

 

Nestas circunstâncias, o Sindicato dos Trabalhadores de Arqueologia solidariza-se com a luta de todos os trabalhadores que rejeitam esta realidade.

 

O STARQ apoia a luta destes trabalhadores, apelando a que se mantenham unidos e firmes até que sejam repostos os seus salários.

 

Juntos somos mais fortes para conquistar e defender os nossos direitos.

 

LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS É CONSTRUIR O FUTURO!

 

A Direcção do STARQ

 

PS-alguns arqueólogos cá da zona têm-se queixado reiteradamente desta situação, bem como de salários em atraso.



publicado por porabrantes às 09:42 | link do post | comentar

Terça-feira, 05.08.14

 

Assembleia Municipal de Tomar, Outubro de 2012

 

A acta está on-line

 

A Ozecarus é uma empresa arqueológica de Casais de Revelhos ligada à funcionária da CMA Filomena Gaspar e ao marido. Falaremos dela.

 

A pergunta do deputado municipal de Tomar é normal, se as autarquias possuem funcionários de determinada área, como se justifica o recurso à contratação externa?

 

mn



publicado por porabrantes às 17:21 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Vereadora Isilda manda ta...

A CACIQUE QUE NÃO ANALISA...

é perigoso limpar escadas

Ozecarus com salários em ...

A contratação externa

arquivos

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carlos marques

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Abril 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds