Domingo, 11.04.21

Memória e Testemunhos das Prisões Políticas depois do 25 de Abril de 1974

PASSAVA a hora do almoço, quando a coluna militar, que escoltava os presos do Regimento de Artilharia de Lisboa (RAL1), metidos em carrinhas celulares e camiões Berliet, saiu do quartel mais uma vez com destino que desconhecíamos. Pela direcção que tomou começou-se a aventar a hipótese que seríamos levados em direcção ao Forte Caxias o que se veio a confirmar. Numa estrada do vale do Jamor e em marcha relativamente lenta e apesar de escoltados pela tropa a coluna era obrigada a algumas paragens determinadaspelas chamadas «barragens populares» destinadas a controlar as movimentações de «reaccionários» do «28 de Setembro», que, dizia-se, avançariam sobre Lisboa com armas escondidas para combater a revolução. Numa dessas paragens, a Berliet de caixa aberta em que eu seguia teve várias tentativas de assalto perante a passividade dos militares que nos guardavam.  Valeu o desembaraço de alguns dos presos que, sentados no chão em pneus, ao verem as «mãozinhas» que apareciam nos taipais para saltarem para a caixa da viatura, de imediato as pisavam repelindo, assim, o assalto.

Os presos foram transferidos com todas as precauções do R.A.L.1 para a prisão de Caxias.
Na gravura um aspecto da chegada de um dos carros celulares a esta cadeia de tão sinistra memória para os portugueses. in A Capital 30/09/74

Chegados ao reduto Norte do Forte de Caxias, sem mais percalços, fomos levados para o parlatório, num dos lados do qual, o das visitas, vi gente muito mais velha - tinha  33 anos\-  que não reconheci e disseram-me ser nomeadamente, um almirante, um ministro e um embaixador, visivelmente alquebrados e que deveriam ter sido tratados de outro modo mais que não fosse pela idade. Ainda mal fizera o reconhecimento do local em que me encontrava e já ouvira chamar pelo altifalante: «Major Melo Antunes!».

Interroguei-me, será possível? Prenderam o Major uma das figuras mais proeminentes do Movimento das Forças Armadas (MFA)?  De facto não … porque logo de seguida emendaram: «Sr.Tenente Antunes!».

Tinham-se enganado! Tratava-se do pai  do Major Melo Antunes. O Sr. Tenente que era o Chefe de Informações da Legião Portuguesa (LP), dirigiu-se de imediato à porta e foi libertado. O chefe saíu, mas os seus subordinados que com ele trabalharam ficaram e comentaram ao meu lado...

O Major Melo Antunes, considerado o intelectual da revolução «safava» o Paizinho!

Afinal para a Revolução de Abril havia pais, filhos e enteados…

Fizeram-se prisões a eito de velhos legionários para fazer número e, assim, poder justificar que estava montada uma enorme «tramóia». O que era preciso era levar gente não se dando ao trabalho de ver quem era quem. Depois avisaram o Major que lhe tinham preso o pai. E a ordem chegou a Caxias «libertem o pai do Melo Antunes».

Pouco importava que fosse o chefe de um serviço de informações que tinha fama de saber e fazer muita coisa... Viu-se!

Depois, seguiu-se revista pessoal aos presos, a entrega das mantas e a distribuição pelas celas. Uma dezena por cada uma.

José Manuel Costa - 18/03/07

  in Abril prisões mil (2007) com a devida vénia

O Major Antunes foi preso na sequência do 28 de Setembro 



publicado por porabrantes às 22:42 | link do post | comentar

Sábado, 27.03.21

miguel wageer russell.jpg

 Miguel Wager Russel, natural de Santarém, filho duma abrantina (1), foi um dos mais importantes dirigentes do PCP e da Resistência e homem ligado directamente  à URSS.

Passou largos anos no Tarrafal. Há várias biografias disponíveis na NET ( ver a página de Anti-Fascistas da Resistência, donde se tirou a foto).

Pacheco Pereira também tratou a sua actividade  e biografia, na sua monumental obra sobre Cunhal.

O Avante retrata aqui a sua biografia e acção.

(1) Era filho de Natália Augusta Pinto Russell e de Miguel Maria Wager Russell segundo a página Anti-Fascistas da Resistência, que segue os dados biográficos coligidos pelo Prof.João Esteves

ma



publicado por porabrantes às 08:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28.12.20

2 meses no presídio militar de Santarém às ordens do PCP/COPCON

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=fjnm3lSvxM8&t=8s



publicado por porabrantes às 14:22 | link do post | comentar

Quinta-feira, 10.12.20

Que querem o rosto dum jovem abrantino, o Faustino das Fragatas ou um rosto curtido pela perseguição e pela tortura fascista?

O primeiro é este:

faustino jovem.jpg

O segundo é este, passara pelos Açores e por Angra, pelo Tarrafal , onde longos anos de cadeia e a tortura da frigideira deixou marcas, mas onde não vergou. (1)

faustino meia idade.jpg

Joaquim Faustino de Campos, de Rio de Moinhos, marítimo, foi preso em 1935 como comunista, transferido para o Aljube. E,  em 1936, nova prisão, Aljube, transferido para Angra, no ''Carvalho Araújo''. Condenado a 540 dias de cadeia é mandado para o Tarrafal. E aí, desde 1936 a 1945, resiste ao Campo da Morte.

Libertado em 1945.

Em 1958, nova prisão, vários meses em Caxias.(2)

Na cadeia, no Tarrafal, o Faustino, conhecido pela sua força hercúlea, não se priva de dar uma sova-mestra no pide Seixas, um dos algozes da Ditadura,.

'' Seixas aproximou-se e com vagares e ares divertidos foi dizendo:
- Tiveram sorte. Chegaram estas cinco. E para o camarada Faustino,  que havia muito andava provocando: - Tu não merecias isto...
Mas, mal lhe tocou com a carta no queixo logo foi esbofeteado e com tamanha gana que cambaleou.
Como não trazia arma, pois não era permitido andar-se armado dentro do Campo -não fôsse-mos nós arrancar-lhes as pistolas -, correu para
o guarda do portão. Estava de serviço o Cardoso que, justiça lhe seja feita; lha recusou e lhe virou as costas.
Joaquim Faustino foi levado à coronhada para a frigideira e ali foi espancado por seis guardas.'' (3)

ma 

 (1)- Comissão do Livro Negro sobre o Regime Fascista    ''Presos Políticos no Regime Fascista, 1932-35'',   Lisboa, 1981

(2) Ficha Prisional, Torre do Tombo

  (3) Título: TARRAFAL-Testemunhos, Autor: Vários, 
Editorial Caminho, SARL, Lisboa, 1978



publicado por porabrantes às 16:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.10.20

eleutério.jpg

Em 1949 era enviado para Caxias o serralheiro tramagalense Eleutério Dias Pinheiro.

Já tinha sido condenado a pena leve, nos anos 30, no âmbito do desmantelamento duma célula comunista e dum grupo alegamente armado, em Abrantes, cujo principal vulto era o operário da MDF, de Rio de Moinhos, Zeferino Seabra Esteves, que foi condenado a dez anos de deportação para Angra do Heroísmo, como já se viu.

Conseguiu-se a informação sobre o processo dos anos 30, graças a um recorte hoje publicado no face pelo sr. dr. Octávio de Oliveira, a quem se agradece.

ma



publicado por porabrantes às 15:45 | link do post | comentar

Sexta-feira, 04.09.20

Ficha militar de António Marques Granja, na Flandres. Foi o comunista abrantino que foi essencial no atentado contra Salazar. 

antónio maues granja 2.jpg

Era filho de Joaquina Gonçalves e João Marques Granja, natural de Alferrarede (1895).

A ficha mostra um espírito irrequieto e um homem pouco dado a aceitar ordens.

Assim sendo, não admira que tenha terminado a mandar tiranos pelo ar.

 Apanhou 10 anos de cadeia.

Não venham condenar o Granja por usar TNT, alegadamente João Damas também preparou bombas para a Carbonária .....

mn



publicado por porabrantes às 19:07 | link do post | comentar

Sábado, 29.08.20
O sapateiro António André

 

''[Souto de Abrantes, 1893, sapateiro. Preso em 22/07/1928 (Processo 3852); libertado em 04/10/1928].''

 

in silêncios e memórias com a devida vénia ao referido blogue e ao Prof.João Esteves


publicado por porabrantes às 22:34 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.07.20

Informa-nos o Sr. Nuno Lopes que o seu tio, o preso político Américo Nunes não era cigano, mas que era assim conhecido por ser muito moreno.

Para os interessados ler o artigo do ''Riachense''  “ de 22 de Julho 2020, 

Agradecemos ao Sr.Nuno Lopes, o esclarecimento. E adiantar que o jornal citado tem bons artigos de História regional.

mn



publicado por porabrantes às 09:37 | link do post | comentar

Quinta-feira, 04.06.20

américo.png

Ao serralheiro de Torres Novas, Américo Nunes meteram-no em Caxias, os amigos do Pai da srª Drª Isabel Moreira.

Foi acusado de actividades subversivas, esteve preso desde 10-2-1953 até 24-11-53, em Caxias e terminou absolvido pelo Tribunal Plenário.

Como se vê na foto, o Américo era cigano, embora só de alcunha, por serr muito moreno, se fosse preto e nacionalista africano, o pai da Drª Isabel, mandava-o para o Tarrafal.

Ainda há vantagens em ser cigano.

ma 

 



publicado por porabrantes às 21:54 | link do post | comentar

Terça-feira, 02.06.20

O advogado Álvaro Machado, natural de Abrantes (1891), foi preso em 1933. 

Era Director-Geral duma Repartição do Ministério do Comércio.

Preso em 14-11-33, saiu em liberdade em 25-11-33

Informação do magnífico blogue ''Silêncios e Memórias'', do Prof. João Esteves. O nosso obrigado.

Quando houver tempo, procuraremos achegas biográficas.

ma 



publicado por porabrantes às 20:05 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Memória e Testemunhos das...

Presos políticos: Miguel ...

Presos Políticos: Quando ...

Um abrantino no Tarrafal,...

Presos políticos abrantin...

Era uma vez um valente bo...

O sapateiro do Souto (pre...

Cigano, só de alcunha, o ...

O preso político ''cigano...

Presos Políticos Abrantin...

arquivos

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Julho 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
16


28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds