Domingo, 14.04.19

Retrato

padre sj

(1)

O Padre Luís Gonçalves da Câmara, S.J. foi o confessor de D.Sebastião. O irmão dele, o Valido. Os Câmara estavam muito relacionados com Punhete onde a sua família teria dado asilo ao Épico. Alguns autores dizem que o jesuíta nasceu em Abrantes, outros dão-no por natural da Madeira, onde os Câmara  detinham desde a descoberta um poderoso senhorio feudal.

A historiografia discute há muito a pérfida influência dos Câmara sobre D.Sebastião e a sua pertinaz alergia às mulheres.

O reputado historiador americano, Harold B Johnson, lançou a polémica quando sugeriu que um menino chamado Sebastião foi vítimas de abusos sexuais dum pedófilo militante e jesuíta, chamado Luís Gonçalves da Câmara.

A criança, vítima do acosso dum degenerado, ficou marcada para toda a vida e assim mudou a história de Portugal. Ler o estudo aqui  (inglês).

Em português (resumo)

O livro:

estudos polémicos

 

mn

(1) Augusto Mendes Simões de Castro, Notas acerca da vida e estada de El-Rei D.Sebastião em Coimbra no ano de 1570, citado por José Martinez Torrejón, Los secretos a voces del rey Don Sebastián, in Memória y Civilización, 19, 2016, Universidad de Navarra

 



publicado por porabrantes às 12:20 | link do post | comentar

Sábado, 09.12.17

pd_juromenha2vJoão António de Lemos Pereira de Lacerda, 2.º visconde de Juromenha, foi um grande camoniano. Organizou 7 tomos das Obras Completas de Luís Vaz, precedidas de '' Um ensaio biográfico no qual se relatam alguns factos desconhecidos da sua vida''. O 1º tomo, donde se retira o extracto, saiu na Imprensa Nacional, em 1860. O 7º não chegou a ver o prelo.

Era ele quem mais sabia de Camões no século XIX e quem apurou dados biográficos essenciais do épico.

Para isso não escreveu de cór e foi aos locais.

Adepto da tese que relaciona Punhete com o lugar de exílio do autor dos Lusíadas,visitou Alvega e foi hóspede de D. João de Azevedo Coutinho. 

Deixa-se a saborosa nota da visita

jerumenha

A gravura é do Portugal Dicionário Histórico e no link pode-se ver a biografia deste eminente estudioso das nossas letras.

devida vénia a www.arqnet.pt/

  



publicado por porabrantes às 17:21 | link do post | comentar

Quarta-feira, 31.05.17

vanda.png

Trata-se dum estudo interessante sobre as âncoras encontradas no Rossio ao Sul do Tejo e a análise destes achamentos, integrando-os num contexto histórico-geográfico regional.

Pode ler o texto aqui

A autora publica estas fotos:

âncoras.png

E temos de fazer a pergunta isto é forma de preservar as âncoras, deixando-as expostas à atmosfera?

E a corrosão?

A Autora não cita nenhuma obra da bibliografia abrantina, coisa que demonstra o vazio dos ''eruditos'' locais na análise sobre o Tejo, mas cita naturamente o dr. António Nabais que escreveu muito sobre este assunto. (1)

Só uma crítica, a drª Vanda Luciano data o aparecimento de estaleiros navais na zona de Abrantes no século XVI.

Ora sabemos que já nos inícios do século XV se faziam galeotas em Constância e se fizeram algumas aí das que participaram na jornada de Ceuta.

galeotas.png

Relatório do espião Ruy Diaz de Vega, em 23 Abril de 1415, para o rei Fernando de Aragão.

O relatório foi publicado na Monumenta Henricina, vol I, donde se extrai um extracto.

mn 

(1) Espero ter tempo para falar disso hoje

naturalmente a Junta do Rossio nunca fez nenhum esforço para que este património estivesse na terra onde as acharam



publicado por porabrantes às 12:53 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.12.16

Livro-Negocios-Jesuiticos-o-Cotidiano-da-Administr

 O Prefácio ( de Mary del Prior) diz assim

despeito.png

 Um dos negócios era abrantino e punhetense

O Padre João Tavares, testamenteiro de D.Fernando Martins Mascarenhas de Lencastre, nomeava   nomeava Procurador o Padre Rafael Mendes para entre outras coisas:

 

d.fernando.png

Leiam o livro, que é excelente, para saberem como a Ordem do Papa ficou rica e como os jesuítas foram uns excelentes administradores dos seus capitais.

 

Devida vénia ao historiador brasileiro Paulo da Assunção,  para o excerto citado,  e, como as conversas são como as cerejas, vejam como este painel de Fernão Gomes,

fernão gomes.jpg

provavelmente outrora propriedade dos jesuítas,  foi vendido , por 40.000 euros, num leilão na Cabral de Moncada (donde se extraiu a foto, com a devida vénia), proveniente dum coleccionador de Constância.

 

Não tinha a autarquia de Constância 40.0000 € para impedir a saída da tábua da terra????

fernão 2.png

 

Não  brinquem connosco, o que não tinha a autarquia era técnicos para estarem atentos ao que se passava no mercado da arte e vontade política de defender o património da sua terra.

 

mn   

 

o livro

 

NEGÓCIOS JESUÍTICOS:
O Cotidiano da Administração dos Bens Divinos


de Paulo de Assunção

ISBN 10: 85-314-0799-0
ISBN 13: 978-85-314-0799-4
Formato: 20x27 cm
Nº de Páginas: 512 pp.
Peso: 1155 g




publicado por porabrantes às 23:32 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18.12.15

visita imperador.png

Estamos em 1871 e os Imperadores do Brasil viajam pela Europa. Aportam a Lisboa, são recebidos com a pompa e circunstância habitual, embora D.Pedro seja avesso a grandes protocolos.

O Imperador tem 46 anos. Governa Portugal o seu sobrinho  el-Rei D.Luís, que  o recebe em Lisboa. É nesse ano que André Rebouças, um mulato, engenheiro, começa a privar com o monarca a propósito das vias férreas e acamarada com o Príncipe na causa abolicionista.

josé rebouças.jpg

O eng. Rebouças, um cientista, é filho dum português e duma escrava liberta.

 

Não vou descrever a chegada a Lisboa em Junho desse ano. Nem a pompa, nem a recusa do Imperador em ficar num Palácio. Alojou-se no Hotel Bragança, tão citado nos livros do Eça. O Imperador queria fazer um inter-rail pela Europa para fazer turismo e colher ideias para modernizar os trópicos. Também estava abatido pelo luto, a sua filha D.Leopoldina morrera de doença contagiosa em Viena.

Em Lisboa, a única pessoa, com interesses abrantinos, que aparece mencionada como distinguida por ele, à chegada, é o Marquês da Valada, de que tenho alguma carta.

d.pedro II.jpg

 

O Imperador apanhou o comboio em Santa Apolónia e vá de rumar à fronteira do Caia.

Naturalmente em cada estação as autoridades locais, as forças militares, o bom povo apresentam-se para desbarretar-se frente àquele senhor excêntrico que reinava nas Américas e que se fazia acompanhar por um escasso séquito de criados e intelectuais brasucas.

imperador 3.png

 

abrançalha.jpg

O Visconde de Abrançalha,  foto do Dr.Paulo Falcão Tavares, pub. no livro Cronologia de Abrantes no século XIX do Eduardo Campos  Por certo, nele só há uma breve referência à visita do monarca.

 

Na viagem até Badajoz, D.Pedro manifestou-se muito interessado pelos problemas da Linha do Leste e foi palestrando com os notáveis lusos e com os responsáveis da Companhia. 

A viagem pela Europa durou 8 meses, podem segui-la aqui. 

Em 1872, o comboio voltou a passar pela Estação de Abrantes e a cena descrita em 1871 deve ter voltado a repetir-se. Não tenho descrição. No Entroncamento, o comboio desviou-se para Coimbra. O Imperador queria conhecer o Norte do País e a Academia coimbrã. Inclui a célebre visita de D.Pedro a Camilo. Antes já se encontrara com Herculano, que lhe deu umas garrafinhas de azeite para ''mamãe''.

Quando está para regressar ao Rio, ainda em Lisboa, D.Pedro recebe uma visita abrantina. Uma velha senhora.

D.pedro mar.png

Manuel Martini, um espanhol residente em Punhete, de profissão destilador de bagaço, organizara em 1833 o primeiro levantamento liberal na região. A mulher queria oferecer a espada do guerrilheiro, feito coronel depois da vitória liberal, ao filho do caudilho que libertara Portugal do reino da fradalhada e das forcas d'El Rei Miguel.

O Spectator de 20 de Agosto de 1833 retrata a actividade do Martini, vista de Londres,

martini.png

Sobre essa actividade há na net informação, de maneira que fica para outro dia.

Só para terminar, faltava o Imperador saudar a maior glória abrantina dessa época

taborda assinado.jpg

Foi vê-lo ao Teatro da Trindade   

 

trindade 22.png

 

  mn

as páginas reproduzidas são da obra citada, edição da Universidade de Coimbra

 

foto de D.Pedro e de Rebouças: página do Imperador no facebook

 

nota: D.Pedro deixou um profuso diário das suas Viagens. No Museu Imperial pode estar o diário referente a estas viagens.

 

Terá sido este o comboio?



publicado por porabrantes às 02:31 | link do post | comentar

Quinta-feira, 17.12.15

visita imperador.png

Estamos em 1871 e os Imperadores do Brasil viajam pela Europa. Aportam a Lisboa, são recebidos com a pompa e circunstância habitual, embora D.Pedro seja avesso a grandes protocolos.

O Imperador tem 46 anos. Governa Portugal o seu sobrinho  el-Rei D.Luís, que  o recebe em Lisboa. É nesse ano que André Rebouças, um mulato, engenheiro, começa a privar com o monarca a propósito das vias férreas e acamarada com o Príncipe na causa abolicionista.

josé rebouças.jpg

O eng. Rebouças, um cientista, é filho dum português e duma escrava liberta.

 

Não vou descrever a chegada a Lisboa em Junho desse ano. Nem a pompa, nem a recusa do Imperador em ficar num Palácio. Alojou-se no Hotel Bragança, tão citado nos livros do Eça. O Imperador queria fazer um inter-rail pela Europa para fazer turismo e colher ideias para modernizar os trópicos. Também estava abatido pelo luto, a sua filha D.Leopoldina morrera de doença contagiosa em Viena.

Em Lisboa, a única pessoa, com interesses abrantinos, que aparece mencionada como distinguida por ele, à chegada, é o Marquês da Valada, de que tenho alguma carta.

d.pedro II.jpg

 

O Imperador apanhou o comboio em Santa Apolónia e vá de rumar à fronteira do Caia.

Naturalmente em cada estação as autoridades locais, as forças militares, o bom povo apresentam-se para desbarretar-se frente àquele senhor excêntrico que reinava nas Américas e que se fazia acompanhar por um escasso séquito de criados e intelectuais brasucas.

imperador 3.png

 

abrançalha.jpg

O Visconde de Abrançalha,  foto do Dr.Paulo Falcão Tavares, pub. no livro Cronologia de Abrantes no século XIX do Eduardo Campos  Por certo, nele só há uma breve nenhuma referência à visita do monarca.

 

Na viagem até Badajoz, D.Pedro manifestou-se muito interessado pelos problemas da Linha do Leste e foi palestrando com os notáveis lusos e com os responsáveis da Companhia. 

A viagem pela Europa durou 8 meses, podem segui-la aqui. 

Em 1872, o comboio voltou a passar pela Estação de Abrantes e a cena descrita em 1871 deve ter voltado a repetir-se. Não tenho descrição. No Entroncamento, o comboio desviou-se para Coimbra. O Imperador queria conhecer o Norte do País e a Academia coimbrã. Inclui a célebre visita de D.Pedro a Camilo. Antes já se encontrara com Herculano, que lhe deu umas garrafinhas de azeite para ''mamãe''.

Quando está para regressar ao Rio, ainda em Lisboa, D.Pedro recebe uma visita abrantina. Uma velha senhora.

D.pedro mar.png

Manuel Martini, um espanhol residente em Punhete, de profissão destilador de bagaço, organizara em 1833 o primeiro levantamento liberal na região. A mulher queria oferecer a espada do guerrilheiro, feito coronel depois da vitória liberal, ao filho do caudilho que libertara Portugal do reino da fradalhada e das forcas d'El Rei Miguel.

O Spectator de 20 de Agosto de 1833 retrata a actividade do Martini, vista de Londres,

martini.png

Sobre essa actividade há na net informação, de maneira que fica para outro dia.

Só para terminar, faltava o Imperador saudar a maior glória abrantina dessa época

taborda assinado.jpg

Foi vê-lo ao Teatro da Trindade   

 

trindade 22.png

 

  mn

as páginas reproduzidas são da obra citada, edição da Universidade de Coimbra

 

foto de D.Pedro e de Rebouças: página do Imperador no facebook

 

nota: D.Pedro deixou um profuso diário das suas Viagens. No Museu Imperial pode estar o diário referente a estas viagens.

 

Terá sido este o comboio?



publicado por porabrantes às 21:43 | link do post | comentar

Quinta-feira, 05.11.15

constancia torre dos coutinhos.jpg

Ainda se vê, vigilante à beira-Tejo, antes duma edilidade acéfala ter demolido as veneráveis pedras no início do século XX.

Eis um dos últimos Morgados de Punhete

gastao coutinho, conde sa taipa.jpg

D. Gastão Coutinho, o ''gago-ladrão'', Soldado do Imperador, liberal radical, inimigo da padralhada  e companheiro de Almeida Garrett nas Viagens .

 

A foto devemo-la a Eduardo Mascarenhas de Lemos

noutra torre e nas Actas do Parlamento e nos jornais radicais encontrarão D.Gastão, bem como nas memórias do cunhado

 

na toponímia de Lisboa

 

na PJ da época

Reflexões sobre a conducta do conde da Taipa, e o documento publicado na chronica constitucional de 10 do corrente mez de Dezembro pela repartição de policia judiciaria.

Editorial: [Lisboa], [Na Imprensa Nacional], [1833]

 

na Câmara de Torres Vedras, de que foi o último Alcaide-Mor

Em Cavalaria 7 que comandou

Por Almeirim e Alpiarça, nas ricas terras da Bord'Água, onde se estendiam as suas casas e herdades 

 

mn

 

no Arquivo Eduardo Campos também



publicado por porabrantes às 22:21 | link do post | comentar

Sábado, 12.09.15

O que é que acontece com certos refugiados?

Chegam cá e ficam donos de tudo.

Foi o caso do galego homiziado em Portugal, por partidário do rei legítimo de Castela, Pedro, o Cruel, Vasco Pires de Camões.

Dom Fernando acolheu-o e deu-lhe como feudo Punhete e o Sardoal.

O Mestre de Avis que não gostava destes refugiados, abateu o boss deles, outro galego, o Conde Andeiro e roubou-lhes as terras.

Que foram dadas aos Almeidas.

A distribuição de terras a refugiados galegos por D.Fernando, iniciou, a feudalização do Ribatejo, até aí terra de realengo, ou seja de homens livres.

Há quem faça alguma ligação familiar entre o galego de Punhete e Luís Vaz mas não está provado.

 

Para sintética biografia do refugiado:

 

Camões (Vasco Pires de).

 

  1. [ c. 1330 ]. f.

 

...)''. Além da alcaidaria de Alenquer, o rei D. Fernando deu-lhe por mercê de 2 de setembro de 1373 a quinta de Gestaçô e mais terras de Montemor-o-Novo, bem como as vilas de Sardoal, Punhete, hoje Vila Nova de Constância, Marvão, Vila Nova de Anços, a quinta do Judeu em Santarém, e outras terras e herdades, que depois foram confiscadas por D. João I, deixando-lhe, contudo, as herdades de Évora, Estremoz e Avis, que a infanta D. Beatriz havia possuído, e de que fez vários morgados conhecidos pelo nome das Camoeiras.

 

devida vénia a Dicionário Histórico

 

mn

 



publicado por porabrantes às 17:50 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.06.15

''CAMPANHA ARQUEOLÓGICA
RECRUTAMENTO DE JOVENS

Júlia Maria Gonçalves Lopes de Amorim, Presidente da Câmara Municipal de Constância, torna público que, no seguimento da solicitação feita pela Direção Geral do Património Cultural – Extensão de Torres Novas, a Câmara Municipal de Constância deliberou na reunião ordinária de 04/06/2015 desenvolver uma campanha de trabalhos arqueológicos em Chã da Bica, Montalvo, durante o mês de julho de 2015.

...

A campanha de escavações terá a duração de quinze dias, durante o mês julho, contando com a participação/apoio de 10 voluntários/as, preferencialmente do Concelho de Constância, com idades compreendidas entre os 16 e os 25 anos.

As escavações irão decorrer durante os dias úteis, entre as 8h e as 13h, sendo as tarefas a desenvolver as seguintes:
1. Remoção de materiais de proteção (manga plástica e areia)
2. Limpeza do campo arqueológico – remoção de vegetação;
3. Trabalhos de conservação de pintura mural, painel musivo e dos pavimentos;
4. Colocação de manta geotêxtil e de areia, por forma a proteger o bem patrimonial.

Os critérios de seleção serão os seguintes:
FA + EP
2
Sendo FA (formação académica)
Sendo EP – (experiência profissional)
A formação académica na área das humanidades é classificada com 5 valores;
A formação académica na área das ciências é classificada com 4 valores;
Outras áreas de formação académica são classificadas com 3 valores;
A experiência profissional até dois anos inclusive e classificada com 3 valores;
A experiência profissional até três anos, inclusive, é classificada com 4 valores;
A experiência profissional até quatro anos, inclusive, é classificada com 5 valores;
A experiência profissional superior a quatro anos, é classificada com 6 valores;

O critério de desempate será a data de entrega da candidatura.

As candidaturas devem ser remetidas via correio eletrónico, até às 14 horas do dia 19 de junho, para o seguinte email: geral@cm-constancia.pt

A Câmara Municipal de Constância entende que existem alguns custos associados à participação voluntária dos jovens, disponibilizando para cada jovem participante na campanha o montante de 100€ (cem euros) – equivalente a 10€/dia - como dinheiro de bolso para compensação de despesas com alimentação e deslocações.''

 

Quanto é que a Julinha pagou a este tipo

antónio.jpg

pela sua vinda a Punhete?
Pagou mais ou menos que lhe pagava o Marcello Caetano quando o Victorino representava, como adido cultural, a miserável política fascista em Viena?
Gosta a Julinha de fascistas reciclados?
E de gonçalvistas?
 
Para abreviar a Julinha acha que com 10 euros um puto de 16 anos tem de cavar todo o dia????
 
Por 10 euros diários contrato a Julinha para jardineira.....
 
ma  


publicado por porabrantes às 13:07 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.06.15

 

 

 

edil socialista insinuou que a Vila pode ser absorvida por municípios vizinhos

 

punhete.png

Era melhor terem em conta a opinião do Sr.Carlos Alves antes que o concelho passe a ser mais uma freguesia do Entroncamento ou de Abrantes????

 

E já agora sabem que que o Sr.Carlos Alves pertence à estrutura concelhia do PS do Entroncamento e a Julinha acha que isso não deve ser assim:

 

punhete 4.png

Fonte actas on-line da CM de Constância

 

júlia amorim.jpg

O Mirante

 

Ao lado da Júlia, o único comuno-cavaquista do globo que ganhou uma Comenda por mostrar que o cavaquismo é conciliável com o bolchevismo

mendes.jpg

 Correio do Ribatejo

 

  O que é que isto nos lembra?

10 de junho 2.jpg

João Abel Manta : distribuição de comendas a 10 de Junho

 

mn

tenho tento respeito pelo Mendes como pelo Dias Loureiro, que aliás foi colega dele na campanha cavaquista

 

ps- mais ajustes directos do Dicionário das Ideias, Lda  em breve



publicado por porabrantes às 13:04 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Dia do Senhor: O Jesuíta ...

Visconde de Juromenha vis...

Bibliografia abrantina: a...

Como a Ordem do Papa fico...

D.Pedro II na estação de ...

D.Pedro II na estação de ...

A torre de D.Gastão Couti...

Refugiado galego foi dono...

Trabalho escravo em Const...

Vai ser anexada Constânci...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds