Quarta-feira, 16.08.17

Em comunicado a associação ambientalista Quercus diz:

 

 

 

 (...) estar "apreensiva com esta terceira vaga de incêndios" no interior do país devido também "à degradação da água quando forem arrastadas as cinzas para o rio Zêzere e ribeiras afluentes".

"Apesar do tratamento da água efetuado pela EPAL, devem ser reduzidos os riscos preventivamente com a reflorestação e gestão de ativa com o objetivo de conservação dos recursos naturais", defendem os ambientalistas''(...)

 

Ou seja dependendo o abastecimento de Abrantes do Castelo de Bode, é necessário reforçar os tratamentos

 

A Quercus sublinha ainda que plantações ordenadas de eucaliptos, como a ZIF da Aldeia do Mato, não resolvem os problemas dos fogos.

 

Diz a ''Quercus'': ''não apenas as áreas sem gestão ardem com facilidade, mas também os eucaliptais, mesmo os geridos em milhares de hectares, como se verificou no grande incêndio de Aldeia do Mato, no concelho de Abrantes"..''

 

mn

 

devida vénia ao ''Jogo'', maldito tempo este de fogos, que até os jornais desportivos falam de incêndios  



publicado por porabrantes às 13:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 23.02.17

quercus.png

 ma



publicado por porabrantes às 21:55 | link do post | comentar

Sábado, 13.02.16

 

A Poluição do Rio Tejo na margem sul
A Quercus considerou a poluição do Rio Tejo o pior acontecimento de 2015.
Em 26 de Setembro de 2015, a Pro-Tejo, movimento pelo Rio Tejo, organizou
manifestações nos concelhos ribeirinhos: Nisa, Vila Velha de Ródão, Gavião, Mação,  Abrantes, Constância, Vila Nova da Barquinha, Chamusca, Alpiarça, Santarém e...  Lisboa, para chamar atenção das populações e dos nossos governantes para a grave  situação da poluição do rio no médio Tejo, com as descargas constantes dos esgotos  das fábricas ali instaladas.
Entretanto, o Governo já nomeou uma comissão especializada para monitorizar a
poluição no Rio.
O Primeiro-Ministro António Costa disse na Assembleia da República no dia 29 de
Janeiro, em resposta a uma pergunta do PEV que queria uma acção rápida contra a
poluição do Rio Tejo.
Toda esta polémica à volta da poluição do Rio Tejo, desenvolvida pelas câmaras do
médio Tejo, pela Quercus e pela Pro-Tejo só se refere ao médio Tejo e às zonas onde  o Rio corre vindo de Espanha. Nunca falam das zonas da margem sul do estuário  onde vivem muitas centenas de milhar de pessoas, perto de um rio que está poluído e que tem o sistema fluvial natural muito assoreado.
Já foram construidas ETAR´S, para tratamento dos esgotos domésticos e industriais
em todos os concelhos da margem Sul, mas o Rio continua poluído e as calas naturais  de toda a margem sul estão completamente assoreadas, assim como a cala de Alverca.
Para restaurar o sistema fluvial e ambiental da margem sul do Rio Tejo são precisos
grandes financiamentos que só serão possíveis com fundos comunitários.
As lamas resultantes do desassoreamento podiam ficar no próprio rio, numa ilha
construida com estacaria. Era uma forma dos custos serem mais reduzidos e serem
dispensados os aterros em terra.
Para que os investimentos sejam feitos na despoluição da margem sul do Tejo é
necessário a união de todas as câmaras ribeirinhas, para que junto com o Ministério
do Ambiente estudem soluções para resolverem este problema.
O Montijo tem um interesse acrescido nesta causa, pois aqui sempre existiu o maior
núcleo de pescadores da região que pescam em todo o estuário e que seriam muito
beneficiados com a despoluição do rio e o aparecimento de mais peixe vindo do
oceano.
Também a utilização da Base Aérea do Montijo para os aviões low cost, com o
transporte de grande parte dos passageiros por via fluvial para Lisboa, é motivo para
termos o nosso maior rio despoluído, para aproveitarmos o potencial da nossa zona
ribeirinha, para práticas de lazer, turismo fluvial e desportos náuticos e mostrarmos às
pessoas que nos visitam em turismo ou negócios a beleza do nosso rio.

PS do Montijo com a devida vénia 

Foto de PS Montijo.

uma nota:  a tolerância das câmaras PS (e PC caso de Constância) com a poluição das fábricas, a servil submissão da cacique Albuquerque à Pegop, os lançamentos de dejectos sem tratar pela Abrantaqua, tudo isso mata o rio. O PS do Montijo parece ignorar que a poluição não vem essencialmente de Espanha, essa mata o Guadiana onde desaguam os esgotos de Badajoz. Vem de Ródão, onde está a Celtejo e outras fábricas assassinas.

Mas quando a Abrantaqua lança águas fecais em Abrantes está a poluir a margem sul. E um Administrador da Abrantaqua é um gajo ex-Vereador do PS abrantino....

 ma
 


publicado por porabrantes às 09:22 | link do post | comentar

Quinta-feira, 21.01.16

Comentário no post Tejo a saque

O RIO TEJO, O SEU E NOSSO TAJÍCIDIO E PARA QUE SE SAIBA.(De Mattos Sébastien) sejamos claros, acima do colector de água EM VILA VELHA DE RÓDAO, é um espelho transparente e depois para baixo do cais fluvial e nomeadamente na Ortiga é uma lastima e um crime ambiental em curso. Todo o ecossistema está praticamente destruído. E há muita gente a morrer com cancros e que são originados por estas substancias químicas via cadeia alimentar. Para quem desconhece, não existem fábricas desde Vila Velha de Ródão até à Ortiga e que é a primeira aldeia do distrito de Santarém. Portanto, meus senhores, comecem a entender-se, quem vai pagar/ressarcir todo o Ribatejo e incluindo nós aqui na ORTIGA, e incluindo destes prejuízos que vão demorar décadas a recuperar. FALAMOS DA LEI dos ressarcimentos, em curto, médio e longo prazos! É destes, portanto, de muitas centenas de milhões que iremos começar a falar e passarão para cima da mesa. Agora eu também não sei quem polui mas a APA já disse várias vezes quem são.Entendam-se. pois o rio é nosso e destruiriam-no. Recordo também de que os estudos com os custos associados para a recuperação deste rio ainda não estão efectuados, mas seguindo outros casos análogos a nível mundial esses custos serão muito acima da facturação de todas as fábricas poluidoras juntas e durante vários anos!!!! CONHEÇO esses números e tem muitos zeros! Este assunto embora demasiado pertinente parece que não interessa ser publico e discutido, mas já está com mais de 20 anos de atraso!. Para quem não sabe um lençol freático demora à volta de 30.000 anos a recuperar. A OPINIÃO PÚBLICA ESTÁ A SER MANIPULADA E DEMASIADAS VEZES OSTRACIZADA quando deveria estar em primeiro lugar! . se há alguém com dúvidas, visitem este colector de águas....ou mais acima.. de  V Rodão.. e depois visitem a Ortiga e Abrantes e todo o ribatejo. Fica o repto e passem bem Porta-Voz da SOS Rio Tejo

de mattos sébastien

 

Pedimos desculpa ao amigo de Mattos, mas só agora por variados motivos foi possível editar o seu precioso comentário

 

Como sabe a cacique e o IPT fizeram com um secretário de estado desta área, um colóquio. É uma vergonha não haver entre os oradores convidados representantes da SOS Tejo, da Quercus, ou da Tubucci ou da Lavoura, ou dos pobres Pescadores.

A D.Céu parece autista. Façam-se ouvir, amigos!

 

 

ma

mn 

 

 



publicado por porabrantes às 21:33 | link do post | comentar

Terça-feira, 29.12.15

A escolha da Quercus é racional e significativa. Um grupo de entidades, especialmente autarquias e empresas, nacionais e espanholas, desde a nascente à foz ,está a matar o Tejo.

A Quercus acerta, mas devia traduzir isso num prémio a entregar aos responsáveis em solene cerimónia.

Devia ser o troféu Merda de Oiro.

golden-poo-trofeu_content.jpg

No troço abrantino o almejado Prémio devia ser recebido ex-aequeo pela CMA e pela sócia dela, a reputada Abrantaqua.

Deixamos a sugestão à direcção da Quercus 

mn



publicado por porabrantes às 10:03 | link do post | comentar

Domingo, 27.12.15
A Quercus teve conhecimento na passada sexta-feira, 11 de Dezembro, da construção de um aterro - travessão no rio Tejo, a jusante da Central Termoeléctrica do Pego, no concelho de Abrantes, estando a acompanhar a situação.
 
Em visita ao local, a Quercus apurou que existia uma antiga estrutura de dimensões muito inferiores, que serviria para auxiliar a captação de água por parte da central termoeléctrica, e que actualmente se encontrava submersa. Na obra agora em execução, promovida pela empresa PEGOP, alegadamente tem como objetivo a requalificação do travessão, verificando-se que o mesmo está a ser construído numa cota muito acima do nível da água constituindo um claro obstáculo à navegação e à passagem de peixes, para além de afetar negativamente a paisagem deste troço do rio Tejo. Também quando ocorrerem cheias, as pedras de grandes dimensões podem ser arrastadas pela corrente para jusante, obstruindo o leito do rio, com as consequências que daí podem advir.
 
O rio Tejo, que ao longo dos últimos meses foi palco de vários problemas de poluição e caudais muito abaixo do desejável, vê agora construída mais uma barreira que só contribui para o agravamento das condições do meio hídrico com impates significativos ao nível da conetividade fluvial, dificultando a circulação das populações de peixes, quer de espécies migradoras quer de outras espécies que percorrem distâncias mais curtas ao longo do rio e que já se encontram em risco, em grande medida, devido à existência de obstáculos, como barragens e açudes, que interrompem a sua migração ou normal circulação.
 
A Quercus confirma que no local, não existe nenhum aviso de licenciamento da Agência Portuguesa do Ambiente para esta obra. Apenas uma placa do promotor PEGOP – Energia Eléctrica, S.A., que assegura a exploração da Central Termoeléctrica do Pego, a carvão, referindo “Reabilitação do Travessão do Rio Tejo”, com a Consignação da Obra a 8 de Setembro de 2015, com prazo de execução de 2 meses.
 

Aterro_travessão.JPG

 

Neste sentido, dada a gravidade da situação, a Quercus já solicitou a pronta intervenção do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR para averiguar a legalidade da construção, tendo elaborado também um pedido de esclarecimento à Agência Portuguesa do Ambiente acerca do licenciamento da obra em domínio público hídrico e da existência de uma correcta avaliação dos impactos ambientais que lhe estão associados.
 
A Quercus está a aguardar por esclarecimentos oficiais das entidades e exige que seja efectuada uma avaliação ambiental, no sentido de que seja reposta a situação anterior para evitar a consolidação de mais uma barreira que impede a circulação das populações de peixes no rio Tejo.
 
Lisboa, 15 de Dezembro de 2015
 
A Direção Nacional da Quercus – ANCN
 


publicado por porabrantes às 13:21 | link do post | comentar

Sábado, 01.08.15

A Câmara do Serrano segue a má escola do município de Abrantes, onde o Serrano

estagiou para autarca. A edilidade não vigia as actividades silvícolas no território do Concelho, seguindo as más práticas abrantinas. Teve de ser a Quercus a denunciar uma criminosa desmatação  de um montado em Tomar.

 

A preocupação que tem o Rui Serrano pela paisagem, já a conhecemos, foi ele um dos impulsionadores do miserável atentado contra a paisagem urbana de Abrantes, protagonizado pela medíocre torre dum licenciado em arquitectura, um tal Carrilho da Graça. 

 

 

serrano.jpg

 

 

serrano foto.jpg

 redacção



publicado por porabrantes às 12:03 | link do post | comentar

Domingo, 05.04.15

veja o vídeo como o açude de Abrantes é um crime ambiental

 

apostamos que a CMA e as páginas subsidiadas não são capazes de o meterem no facebook

 

a redacção  

 

 

 



publicado por porabrantes às 21:40 | link do post | comentar

Quinta-feira, 19.02.15

A União de Freguesias de Sao Miguel e Rossio usa este produto tóxico prá monda química:

 

monda.jpg

 Avisa a Junta que o produto é inócuo, mas diz o Vendedor

 

sapec.png

 

e acrescenta:

glifosato.png

 

 

A Quercus com este cartaz profético critica violentamente estas práticas que estão generalizadas em muitas autarquias:

herbicida.png

Além do mais o uso de herbicidas está severamente condicionado em zonas urbanas, diz a Quercus

quercus.png

E as autarquias, como esta junta, usam-no largamente em zonas urbanas  

 

Além dos danos ambientais à biodiversidade, há estudos que apontam para danos perigosíssimos para a saúde humana:

quercus 2.png

A conclusão é óbvia, diz a Quercus:

quercus 3.png

Leia aqui o estudo da Quercus

 

mn



publicado por porabrantes às 14:06 | link do post | comentar

Sábado, 25.10.14

 

 

(...) ''Três municípios e seis freguesias aderiram à campanha lançada em Março pela associação ambientalista Quercus e pela PTF – Plataforma Transgénicos Fora, comprometendo-se a deixar de usar pesticidas para controlo de ervas daninhas nos espaços públicos.

Aderiram à campanha "Autarquia sem Glifosato" os municípios de Castelo de Paiva, S. Vicente e Vila Real de Trás-os-Montes (...)

 

Optaram pela monda manual (à mão e enxada) e mecânica (motorroçadora e destroçador) das ervas daninhas em detrimento dos herbicidas à base de glifosato.   

As restantes 3082 freguesias e 305 câmaras municipais “são agora chamadas a explicar porque é que só alguns portugueses, é que têm direito a um ambiente mais limpo”, critica a Quercus, enumerando as consequências nefastas resultantes do uso de químicos tóxicos: “malformações congénitas e cranianas, efeitos tóxicos em vários tipos de células humanas, como do cordão umbilical, (...)

A Quercus classifica de “calamitosa” a realidade que encontrou em vários órgãos de poder local, onde se generalizou o emprego de herbicidas à base de glifosato, o herbicida mais usado em Portugal.

 

texto de Carlos Dias no Público. leia-o aqui

um artigo e um aviso importante. Salutar a iniciativa da Quercus.

sn



publicado por porabrantes às 17:31 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Água do Castelo de Bode e...

Quercus saúda a Caima!

PS do Montijo critica PS ...

Que escutem os ecologista...

Quercus elege poluição no...

Quercus condena Pegop

Câmara do Serrano deixa d...

O Vídeo do crime ambienta...

Dos perigos da monda quím...

Apenas nove autarquias pr...

arquivos

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds