Quarta-feira, 18.11.20

 

No seu árduo esforço para construir um almanaque republicano abrantino, o esforçado Gaspar não encontrou elementos para ver como os republicanos, em nome do Supremo Arquitecto, limpavam as escolas abrantinas das referências católicas.....Esclarecemos o rapaz....  

 

 

 

''No que diz respeito à neutralidade religiosa nas escolas não dispomos de quaisquer informações sobre o grau de cumprimento desta norma na região'' -Martinho Gaspar, p. 63 da ''Primeira República em Abrantes''

 

antunes amor.png

 

Maria Lúcia de Brito Moura, ''A "Guerra religiosa" na I República'', p. 518, 2010

   

Como diria António Farinha Pereira, citando Voltaire '' a religião é muito necessária para as mulheres e para os criados''

ma



publicado por porabrantes às 12:42 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.10.20

img20201013_19563524.jpgDeclarações de António Farinha Pereira,  na República de 4-10-1960 ( é uma repescagem pois morreu em 1949)  sobre quem fez a República em Abrantes. Para ele os nomes são: dr. Ramiro Guedes, José António dos Santos, Oliveira Neto, Rodrigo António, Joaquim Leite, Manuel Inocêncio da Costa, Roque José Delgado, coronel António Maria Baptista, Zeferino Alves da Silva, Vergílio Bastos e outros. Há silêncios que falam por si. Boa parte dos referidos não aparece nos estudos publicados pelos ''historiadores locais''. E naturalmente aparecem ''adesivos'' aos montes

afp almanaque r..bmp

ps- ao contrário do que diz AFP....o dr. Guedes era lisboeta .....



publicado por porabrantes às 20:34 | link do post | comentar

Segunda-feira, 05.10.20

s.facundo imagens.png

Em 25 de Setembro de 1911, para defender a República, Justo da Paixão, acolitado pelo Presidente da Junta da Paróquia, José Ascensão Bispo, apreende todos os bens móveis e imóveis da Paróquia de S.Facundo, incluindo a histórica imagem de pedra do Santo Padroeiro, encontrada no século XVI e que motivara a mudança de nome da terra de Zonalheira para S.Facundo.

Em ouro e prata levaram:

  

Duas cruzes de ouro com o peso de 126 gramas

Nove argolas e dois cordões com um broche com o peso de 155 gramas

Prata

Dois cálices com o peso de  1 Quilo e 656 gramas

Uma concha com o peso de  155 gramas

Um relicário com o peso de  79 gramas

Duas coroas com o peso de 555 gramas

Um resplendor com o peso de 74 gramas

Um resplendor e uma coroa pequena com o peso de 12 gramas

Em livros:

Um livro de baptismo de 1815 até à data

Um livro de casamentos de 1803 até à data

Um livro de óbitos de 1823 até à data

Quatro missais

Um copiador de pastorais

Um ritual.

O saque incluiu os paramentos, móveis e o edifício da Igreja. 

Ainda com Salazar foram arrolados um quintal e as oliveiras das almas, oferecidas pelo Povo à Igreja e dispersas por terrenos particulares. Estes últimos bens e a casa paroquial, que passara a ser usada pela professora, foram devolvidas à Paróquia, sendo pároco...o padre Ramiro.

Se querem que deitemos foguetes por quem ofendeu a Liberdade e saqueou o Património, não deitamos.

 ma

nota : até agora não encontrámos o auto da devolução do espólio religioso confiscado. Os bens foram entregues à Junta da Paróquia.

 



publicado por porabrantes às 09:28 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.09.20

Estava na Raimundo Soares, tomando um Porto, o capitalista António Farinha Pereira com o seu amigo, o latifundiário Manuel João da Rosa, quando o Aurélio Netto,  lhes perguntou já que são vocês que pagam ''O Abrantes'', que querem que saia na primeira página?

Isto! disse o Farinha.

aurélio neto 1922.png

Nisto entrou o tenente José Garcia Marques Godinho e o Rosa perguntou, o que é que você acha?

Brilhante!!!!

O Abrantes, 1909 

E saiu .

Pobre Raposo, pároco de S.Vicente!

Tirem Padre e ponham Cónego e tudo está actual.

ma

 



publicado por porabrantes às 13:19 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.08.20

Na sequência duma ronda de comícios pelo Médio Tejo, os republicanos terminam as jornadas de propaganda em Abrantes.

Era Fevereiro de 1907, depois do comício na Praça de Touros, cedida gratuitamente pelo lavrador Franco.

No Hotel Comercial há um banquete. Anima a festa a Tuna Rossiense.

Preside Ramiro Guedes, tendo à direita Bernardino Machado e à esquerda António José de Almeida.

Falaram José Eugénio Nunes Godinho (Constância), Guilherme Godinho (Almeirim), Bernardino Machado, Ferreira Caiado, Justo da Paixão,        Anselmo Xavier, Pereira Camacho, Manuel Esteves, Martinho Costa, Pedro Paulo de Carvalho e António José de Almeida (etc)

Presentes: Adolfo Augusto Fernandes, António Farinha Pereira, Fernando António Assis, António Augusto Salgueiro, José Heitor Marques, Aurélio Netto, João Lopes Gueifão, Ramiro Guedes, Manuel Oliveira Netto, Joaquim M. Almeida Beja,Manuel Lopes Esteves, António Ribeiro Gomes dos Santos, João Alves Matias, José Eugénio Nunes Godinho, Manuel Caldeira Queiroz, Pedro Paulo Carvalho (os dois das Galveias), João Rodrigues dos Santos, António C. Alcaravela Júnior, José António dos Santos, Manuel João da Rosa, António Martinho da Costa, Alarico Alves Ferreira, Luís Marques Pires, Justo DR da Paixão, Virgílio Bastos, João Pereira, Joaquim R.Sequeira, Artur R.Sequeira, José Mendes, Zeferino A. da Silva, Artur Jorge da Silva,  Valente Júnior, Silvério da Silva, Manuel J.S.Bastos, Francisco Cardoso e António Laurentino da Cunha.

(''O Mundo'' de 3 e 4 de Fevereiro de 1907)

Ilustram o artigo fotos  com destaque de Justo da Paixão e António Farinha Pereira e ainda fotos dos netos de Ramiro Guedes, com Bernardino e António José de Almeida.

File:Antonio Farinha Pereira (Album Republicano, 1908).png ...

António Farinha Pereira

No Jornal de França Borges, a quem é dedicado um ''toast'' pelos presentes no Banquete, não se refere qualquer promessa de elevação da Vila a Cidade.

Se repararem bem faltaram  ao banquete o João Damas..e o militar António Maria Baptista, que vão ter cargos importantes, depois do  5 de Outubro, mas a lista dos presentes é quase da lista dos republicanos históricos abrantinos e da região em 1907 .... 

ma

PS- só dei com isto graças a D.Maria Justina Bairrão Oleiro,  que soube preservar o Arquivo do seu Pai, a ela o meu obrigado

 

.

 

                                    



publicado por porabrantes às 08:02 | link do post | comentar

Domingo, 19.07.20

« anterior | início | seguinte »

Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

Aula de História na Manuel Fernandes

A senhora Professora.: Hoje vamos falar da República!

 

Menino Zézinho: Da qual? Daquela onde o meu Pai andou em Coimbra e tinha uma vaca na janela que deitava tinto pelas tetas???

 

A senhora Professora.: Menino Zézinho ponha-se na rua.!!!!

 

Menino Zézinho: Tá a tripar ou quê? O meu pai que é Advogado mete-lhe um processo e a sotôra vai ver como é que são elas!!!

 

A senhora Professora: Menino Zézinho, acalme-se e fazemos as pazes. A República foi muita boa. (escreve no quadro).

 

Menina Luisinha (a melhor aluna): Tenho uma dúvida, era republicano Manuel Fernandes, nosso patrono?

 

A senhora Professora: Era um republicano muito bom. Fez esta Escola, o Hotel, o Cinema e mais coisas. A República é isso, o Progresso.

 

Menino Jeremias (reguila): Desculpe a sotora, mas esse gajo era um fascista.

 

A senhora Professora: Como se atreve a dizer isso do nosso patrono???

 

Menino Jeremias: O gajo era deputado do partido único, latifundiário, salazarista e essa tropa era toda fascista.

 

Menina Luisinha: Sabia o Manuel Fernandes do Tarrafal?

 

A senhora Professora: O Tarrafal foi inventado pelos monárquicos.

 

Menino Jeremias (reguila): Então deve ter sido pelo dr. Solano de Abreu que tinha muitas amantes. Quando os cornudos protestavam se calhar mandava-os para lá.

 

A senhora Professora: Estão a fazer uma confusão danada. A República é um tema muito polémico. Que tal se falássemos no Afonso Henriques???

Menino Zacarias (natural do Souto): O Afonso Henriques era o tipo que matou o Bin Laden.

 

A Senhora Professora: Bem, acho melhor falarmos sobre outra coisa. O que é que acham fazermos um blogue sobre a reprodução das abelhas????

 

Todos: Queremos o blogue!!!!

 

Suzete de Noronha, socialite

 

Nota: este texto é uma caricatura humorística....



publicado por porabrantes às 11:57 | link do post | comentar

Sábado, 04.01.20

A lei de separação do Estado e da Igreja retirou ao clero o controle das populações das aldeias, onde o sentimento religioso era mais forte.

A retirada aos párocos do poder de controlar os nascimentos e casamentos e a promoção do casamento civil e do registo civil, implicou criar nas aldeias representantes da República que fizessem esse trabalho e ''evangelizassem'' o bom povo.

Logo em 20 de Abril de 1911 são nomeados para várias aldeias abrantinas, os novos encarregados dessa missão, entregue na sede do concelho a Diogo Oleiro.

Foram:

rt

mn

     



publicado por porabrantes às 18:10 | link do post | comentar

Sábado, 05.10.19

Um grande artigo do Zé Luz, no EOL

A ler sem falta

ma

 

 



publicado por porabrantes às 22:28 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13.06.19

19952473_RL2qR

Segundo um tal Candeias Silva, o Justo era criticado pelos seus inimigos por ter saído das inclusas.

Estavam a chamar-lhe filho duma rameira.

Foi o Justo que dirigiu o saque às Igrejas abrantinas, a proibição das romarias, a liquidação da liberdade religiosa.

Justamente por isso o Gaspar, sem mencionar o filho das inclusas, chama a isto, ao roubo, ao saque, à delapidação dum património artístico acumulado ao longo de 8 séculos, '' A ação laicizadora republicana''.

Que significou esmagar a mais preciosa das Liberdades, a religiosa.

Foi esta política encenada pelo filho das inclusas, que criou a base social da reacção católica, que foi o salazarismo.

Mas para o Gaspar isso é uma preciosidade académica.

Sobre a acção do Justo, pode traçar-se algum elogio, passou muito tempo a enfrentar-se ao fascista Valente da Pera, vendido aos integralistas.

Republicano anti-clerical foi e assim ficaria, sem se vender.

Sobre o saque republicano

A situação religiosa em 1914

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/humorista-justo-da-paixao-aplica-lei-da-3162572

Há mais pelo blogue....

ma

  



publicado por porabrantes às 15:29 | link do post | comentar

Domingo, 19.05.19

suprema afronta

entre os deportados do 2 de Fevereiro de 1926, estava Martins Júnior

 

a choldra

A Choldra, n2 1926

 

que dizia que São Bento era '' uma miserável sucursal do directório que reside na Travessa da Água da Flor''.

 

Sobre António Maria da Silva dizia MJ que era  ''O Presidente Landru na República da Calábria''

ma

 



publicado por porabrantes às 21:15 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Limpando Abrantes da supe...

Quem fez a República em ...

República combate o ''fan...

Tirem Padre e ponham Cóne...

Os republicanos de 1907

Aula de História na Manue...

A republicanização das al...

Para a história da Repúbl...

Quando o Justo liquidou a...

Contra a deportação de Ma...

arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds