Quinta-feira, 21.02.13

O Doutor Oeesterbeck e o Saldanha da Rocha promoviam hoje em Lisboa no MNA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Senhor Professor Doutor José da Encarnação, eminente especialista de epigrafia romana (que colaborou generosamente com o Doutor Candeias Silva em alguma obra) não resistiu com sardónico sentido de humor a comentar este cartaz:

 

 

''Para quem não sabe o que é o agro-pastoralismo vai ter oportunidade de o saber, com a exposição a inaugurar no Museu Nacional de Arqueologia no dia 21, para cuja inauguração se anuncia – honra lhe seja feita! – a presença do Senhor Secretário de Estado (ver cartaz infra).
Certamente os arqueólogos presentes terão, assim, oportunidade de manifestar ao ilustre membro do Governo as suas preocupações em relação à Arqueologia como Ciência da Identidade e da Memória, num mundo em que tanto uma como outra correm sério risco de se esvair perante a globalização invasiva a queestamos sujeitos.
E terá sido, decerto, influenciados por essa globalização que os organizadores da mostra terão optado por uma palavra que não é portuguesa nem se aplica, de facto, ao que se pretende dizer: pastoralismo eventualmente viria de pastoral e não nos admiraria, portanto, que se houvesse convidado também o Senhor Cardeal Patriarca, a quem a pastoral evangélica diz respeito. Para a actividade concreta – e não figurada, do «pastor das almas» - as palavras são pastorícia, pastoreio. Que se me perdoe a impertinência lexical!... – J. d’E.''
Ora digo eu que face a mais um sonoro escândalo na Igreja Portuguesa, que a Drª Ana Soares Mendes atribuirá aos trajes ousados dos seminaristas, Sua Eminência o Cardeal-Patriarca terá mais que fazer. Por outro lado tem um Conclave em Roma e uma batalha eleitoral para escolher o novo Papa.......
Não poderá pois explicar pastoral ao Oeesterbeck e ao Saldanha da Rocha, que no caso deles  seria  explicar-lhes o catecismo.
Mas sendo o Senhor Cardeal um homem bem educado, mandará alguém para se fazer representar, não um pároco dos Jerónimos como este, que aliás Cerejeira substituiu por   comunistóide por um Monsenhor cá da zona, e que o actual Cardeal casou pela Igreja, esquecendo que o P.Felicidade Alves defendera os ''picks-nicks eucarísticos.''... como diziam os integristas do ''Novidades''.
 
 


Tendo em conta a solenidade científica em causa aposto que o Cardeal lhes manda um sacristão natural do Pinhal.
Marcello de Noronha 

tags:

publicado por porabrantes às 21:57 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.06.12

Paula Teixeira da Cruz faz no caso dos Tribunais o que deve.

 

 

Racionalizar o mapa judicial e fechar Tribunais sem movimento onde os únicos réus são moscas ou os desgraçados que se atrevem a criticar o cacique.

 

Porque é que hão-de estar abertos Tribunais em terras que já estão quase mortas porque a única indústria que possuem são os lares para idosos, antecâmara da morte.????

 

Houve um tempo para corrigir o declínio de Vilas como o Mação.

 

Houve imensos e generosos fundos europeus e nacionais que permitiam a autarcas inverter o caminho para que a lógica perversa que um modelo de crescimento concentrado no litoral anunciava.

 

Os autarcas que governaram o Mação foram incapazes de gerir com senso, responsabilidade e audácia essas ajudas.

 

Delapidaram-nas em Museus Rupestres e Cemitérios do Presunto.

 

Foram incapazes de cuidar da Floresta, a única riqueza da terra. Deixaram-na arder.

 

 

Agora aparecem, rupestres, na imprensa subsidiada e nas rádios do betão a dizerem que é preciso um governo novo.

 

Colocam as bandeiras a meia-haste.

 

macao a meia haste web 

 

De que serve isso?

 

Para nada.

 

Adivinho o próximo passo na ''luta''. Uma romagem à campa do ex-Vereador da Ditadura Elvino Pereira para que ressuscite e venha chefiar uma nova União Municipal em defesa do Tribunal.

 mação em movimento

De que serve isso?

 

De nada.

 

Haverá então novos passos na justa luta do Mané????

 

 

Que ideia sairá, rupestre, da cabeça do Mané ? 

 

Mandar um ofício????

 

Processar o Estado?????

 

Tudo é possível....agora vou tomar o pequeno almoço, uma sandes à maneira com presunto da capital do dito, que é Barrancos, um café Delta e rir-me à  gargalhada lendo as gazetas onde o Mané choraminga....

 

 

Marcello de Noronha

 

 

 

 





publicado por porabrantes às 08:10 | link do post | comentar

Sábado, 14.04.12

 

 

 barca

 

 

Salazar disse que governar as finanças dum país era  como seguir o exemplo das donas de casa. Bastava ter um livro com o deve e haver, fazer um orçamento e não gastar mais que aquilo que se recebia.

 

 

Conselho prudente dum homem que viu a 1ª República e a Ditadura Militar falir e cair nas mãos da agiotagem internacional.

 

Pois bem, o Saldanha da Rocha tem, parece, um Museu Rupestre sem orçamento. Ou seja significa aparentemente que lá se gasta à balda.

 

E sucedeu o Saldanha, que começou como paquete, a um homem do antigo regime,  educado nos hábitos salazaristas.

 

O Saldanha só herdou os vícios autoritários do fascismo  que consistem em perseguir nos tribunais quem o critica e não herdou a salutar probidade na administração financeira que o Ditador cultivava.

 

 

 

O Saldanha também não herdou os tribunais plenários do fascismo, infelizmente para ele. E para aqueles que gostam duma justiça ''domada''.

Por isso viu o Tribunal da Comarca e a Relação absolver quem o criticou.....

 

 

Mas era do Museu Rupestre que se falava.

 

Que aquilo não tem orçamento é o que se deduz desta acta:

 

MUSEU DE ARTE PRÉ - HISTÓRICA E DO SAGRADO DO VALE DO TEJO----------

APOIO LOGÍSTICO AO MUSEU/ RENOVAÇÃO DE CONTRATO COM O CIAAR

 


Presente oficio do Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado do Vale do Tejo, datado de 25 de Março de 2011 em que solicita que seja renovado o acordo com o CIAAR - Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo para manutenção das instalações e da base

logística das diversas operações do Museu, pelo valor de 5.880,00€ (cinco mil, oitocentos e oitenta euros) ano para pagamento dos serviços enunciados. Por unanimidade deliberado renovar o acordo mencionado com o Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto

Ribatejo para apoio logístico aos trabalhos do Museu, conforme solicitado. O Sr. Vereador Nuno Neto recomendou que, para evitar a necessidade de aprovar regularmente a atribuição de verbas avulsas para o  Museu, o Executivo Camarário elaborasse, no início de cada ano, um orçamento de  todas as verbas necessárias ao financiamento da sua actividade e o submetesse à aprovação da Câmara.

 

 

Também pode ter um orçamento rupestre que não sabe às quantas anda (para condizer com o nome) e então é preciso sempre estar a tapar buracos.....

 

Ou  a cumprir ordens do Oeesterbeck..... 

 

MA



publicado por porabrantes às 16:02 | link do post | comentar

Quinta-feira, 02.06.11

 

A nº 2 do Bloco na Candidatura a Santarém, Sara Cura (foto http://xviuispp.ning.com

 

Os seus dados são estes: 

 

Sara Cura

Museu de Arte Pré-Histórica de Mação
Largo Infante D. Henrique
6120-750 Mação

0saracura0@gmail.com

00351 96 4286144

 

Técnica Superior na Câmara Municipal de Mação na qualidade de licenciada em História, variante de Arqueologia desde Setembro de 2003 e exercendo funções no Museu de Arte Pré-Histórica.

Licenciada em História – Arqueologia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Diplôme d’Etudes Approfondies en Prehistoire-Ethnologie-Anthropologie, pela Université Paris 1 Panthéo-Sorbonne

Doutoranda da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em “Quaternário: materiais e culturas” com uma tese intitulada: «As mais antigas ocupações Humanas do Ocidente Peninsular: tecnologia lítica e comportamento no Vale do Tejo

Docente no Mestrado Erasmus Mundus de Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre promovido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto e pelo Instituto Politécnico de Tomar.

Coordenadora de diversos trabalhos de Arqueologia de campo e laboratório em contexto de investigação científica e de salvamento, em particular em contextos de Pré-História Antiga em depósitos Fluviais.

Autora e Co-autora de várias publicações nacionais e internacionais sobre Pré-História, Geo-arqueologia em contextos fluviais, Indústrias líticas, Didáctica da Pré-História e Arqueologia Experimental
Membro da Unidade de I & D do Centro de Geociências da Universidade de Coimbra - Faculdade de Ciências e Tecnologia
Coordenadora do Laboratório de Quaternário e Indústrias líticas do Instituto Terra e Memória – Centro de Estudos Superiores associado ao Grupo “Quaternário e Pré-Histórica” do Centro de Geociências  (uID73 – Fundação para a Ciência e Tecnologia).
Consultora científica nas áreas de Pré-História Antiga, Geo-Arqueologia e Didáctica da Pré-História.

 

Áreas de Interesse: Comportamentos adaptativos de caçadores-recolectores; Tecnologia lítica;  Tecnologias e Arqueologia Experimental; Didáctica e divulgação da Pré-História

 

http://xviuispp.ning.com

Sara Cura trabalha pois no círculo de influência de Luís Oosterbeck

 

Sara Cura trabalha pois no Instituto Terra e Memória 

 

No dia 1 de Dezembro de 2009, Luís Oosterbeck aproveitou um comunicado do Instituto Terra e Memória, pago pelo dinheiro dos contribuintes, para chamar ''fascistas'' a mais de  mil peticionários.

 

Era o comunicado nº 58/09 do ITM que nem sequer tinha aparentemente existência jurídica porque segundo a sua página no facebook só foi constítuido em 9-2-2010.  

 

E já tinha mandado pelo menos 58 comunicados ad majorem gloriae do senhor Luís Oosterbeck e da política rupestre do cacique laranja Saldanha da Rocha, que é um dos que paga via CM Mação os delírios de grandeza do Sr. Luís OosterbecK.

 

Face a isto é para nós claro que Sara Cura não nos merece nenhuma confiança política (nem devia merecer ao Bloco) para representar o povo deste distrito.

 

Apelamos pois aos senhores peticionários para que impeçam a D.Sara Cura de sentar o seu mimoso rabinho nas poltronas de São Bento.

 

entrega_listas_02.jpg

(os candidatos do Bloco a Santarém)

 

Marcello de Noronha

Miguel Abrantes

 

Os senhores peticionários de esquerda podem votar no PCP. O Deputado António Felipe não fez mau trabalho, apesar de a peticionária Drª Luísa Mesquita decerto o teria feito com mais classe.... 




publicado por porabrantes às 17:32 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Pastorícia no Mação

O Tribunal onde os únicos...

a arte de construir um mu...

Não ao voto no Bloco de E...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds