Domingo, 29.11.20

anacleto 4.png

Reproduzimos com a devida vénia, o post do Colega Sardoal Cultura e Progresso sobre a degradação e uso político da Santa Casa do Sardoal, pelo Anacleto, o amigo dilecto do burlão José da Graça: 

 

SANTA CASA DA MISERICÓRDIADO SARDOAL, UMA BOMBA PRESTES A EXPLODIR
Perante a grave situação que a Santa Casa de Misericórdia apresenta e num exercício de responsabilidade e compromisso político com o Sardoal, os vereadores eleitos do partido socialista decidiram reunir-se com o Director Distrital da Segurança Social de Santarém, em delegação ao vereador Pedro Duque a representação.
A preocupação é máxima, tendo em conta a situação e as consequências que a falência da Instituição pode ter ao nível social e económico e essencialmente nas valências e serviços que presta à população.
Os principais aspectos da reunião são detalhados a seguir.
RELATÓRIO DA REUNIÃO
O Director fez questão de que não pretendia de forma alguma ocultar qualquer informação acerca da Instituição apesar da gravidade de algumas situações.
Apresentou-se munido de uma ficha de acompanhamento da SCMS, que é normal ter relativamente a cada parceiro com quem a Seg. Social tem protocolos.
Nessa ficha enunciou um conjunto de irregularidades técnicas e funcinais, apuradas numa recente inspeção dos serviços, tais como:
- Falta de qualidade das refeições fornecidas;
- Desconformidades nos quartos onde os idosos estão internados com excesso de utentes por unidade;
- Incumprimento de inúmeras regras de manutenção dos locais de internamento, com especial destaque para os cuidados em matéria de prevenção do COVID;
- Inexistência de actividades complementares de ocupação dos internos;
- Incumprimento dos rácios de Técnicos e de pessoal credenciado, em diversas áreas, designadamente, fisioterapia, animação, motricidade, etc..
- Internamento de utentes em vários locais (pelo menos 3) dispersos do Lar Principal, sem qualquer licenciamento para o efeito (Infracção Grave);
- Declaração em duplicado de vários utentes para várias valências em simultâneo, o que obrigou ao reembolso de avultadas verbas por parte da SCMS à Seg. Social (atenção que esta matéria é suscetível de ser crime na obtenção de comparticipações do Estado);
Por outro lado referiu que sempre que se reúnem com os Provedores, e têm que o fazer com alguma regularidade, o Sr. Anacleto, procura sempre intervir em matérias de âmbito nacional, ou seja está sempre muito mais empenhado em debater e criticar sistematicamente o Governo, acusando-o de insuficientes comparticipações do que em abordar a situação particular de SCMS.
A este prepósito, diz o Dir. Reg. que o Provedor não tem qualquer razão até porque em 2019 as comparticipações aumentaram 3,2% e em 2020, 5%, portanto valores bem acima da inflação.
Ainda disse que recentemente teve uma acesa discussão com o Sr. Anacleto, onde lhe disse que a SCMS era a única que se queixava da viabilidade e sustentabilidade de determinadas valências em todo o Distrito e que todas as outras SCM ou IPSS, ao longo do tempo, umas mais rápido e facilmente que outras, foram adaptando as suas estruturas às valências que proporcionam às população e prestavam na generalidade serviços com melhor qualidade que a SCMS.
Também disse que lhe tinha dito, que a gestão da SCMS supostamente até deveria ter sido mais facilitada, atendendo aos donativos de privados que recebeu e que muitas das suas congéneres nunca receberam, mas prestam serviços de qualidade, em termos legais e sustentáveis financeiramente.
Disse-lhe que era evidente que o problema da SCMS resultava unicamente da sua gestão, pois tem por exemplo um rácio de praticamente dois funcionários por cada utente, o que a torna insustentável.
(Neste ponto, lembrar que a SCMS nas últimas décadas foi um elemento político sempre ao dispor do PSD, ainda mais quando a Câmara deixou de poder contratar mais pessoal, pois havia ultrapassado os limites legais, a SCMS foi quem cumpriu muitas promessas eleitorais do PSD de Sardoal).
O Sr. Diretor referiu a este propósito que chegou a dizer ao Sr. Anacleto que estranhamente e perante a evidência de que a SCMS tem uma estrutura demasiado pesada para as valências que dispõe, nunca viu a SCMS tentar atenuar esse desequilíbrio alargando o leque de valências com um conjunto de programas de apoio que a Seg. Social dispõe em várias matérias, designadamente relacionadas com a ocupação de tempos livres dos utentes e no alargamento dos serviços a prestar em matéria de apoio domiciliário, o que possibilitaria alargar o valor das comparticipações sem que tivesse que efectuar qualquer contratação de mais pessoal, bastava afectar pessoal superavitário de determinados setores a estas novas valências.
Neste caso, insistiu, dizendo que os técnicos da Seg. Social insistem constantemente com a SCMS, para aderir a estes novos programas, e que inclusivamente informam que caso seja necessária alguma formação, a Seg. Social tem protocolos com o Instituto de Emprego, que assumiam este encargo, mas ainda assim, a resposta é invariavelmente negativa. Parece que estamos no tempo do “Orgulhosamente sós”.
O Provedor recentemente veio para a comunicação social alegar que a Seg. Social também culpa da situação financeira da SCMS, pois devia disponibilizar um maior número de vagas para utentes protocolados.
O Sr. Diretor comentou que ele próprio teve acesso a esse artigo que de imediato lhe telefonou e o convocou para uma reunião de urgência em Santarém, que entretanto o Sr. Anacleto, já adiou duas vezes.
Neste capítulo, referiu que o Provedor mentia descaradamente, pois a SCMS nem tem utentes suficientes para ocupar as vagas protocoladas e apresentou os seguintes dados:
Lar
- Capacidade SCMS
70
- Acordo com Seg. Social
44
- Utentes
39
Apoio Domiciliário
- Capacidade SCMS
80
- Acordo com
Seg. Social
60
- Utentes
46
O Sr. Diretor afirma que estes números acordados/protocolados com a segurança social, podem ser revistos a qualquer momento, aliás é frequente que assim seja, o que acontece é que a SCMS tem vindo a perder imensos utentes nos últimos anos e que considera que a fraca qualidade do serviço prestado e com pouca humanidade, tem afastado eventuais interessados.
Referiu que por vezes fica a ideia que a gestão da SCMS se torna como que “bafienta”, amorfa, conformada e sem iniciativa o que é pena pois dispõe de alguns bons técnicos, só que a direcção corta-lhes as pernas para poderem inovar.
Referiu que nesta altura está em curso um programa “PARES” com comparticipações de pelo menos 75% dos investimentos elegíveis e que se destina a novas edificações, ampliações ou remodelações já existentes e que pelo menos até aquela data a SCMS não tinha manifestado a intenção de aderir.
Disse também que teve conhecimento que recentemente o Sr. Anacleto foi convocado, com carácter de urgência, para uma reunião com o Sr. Bispo e que o Coordenador Distrital das Misericórdias também foi convocado.

bispo (2).png

 

(Nesta altura já se vislumbram manobras nos bastidores por forma a que se crie uma lista, mais uma vez, proveniente de um circulo restrito de pessoas, maioritariamente afetas ao PSD).
O nosso papel e responsabilidade é denunciar esta situação,
com autorização do Director Distrital da Segurança Social, para tornar pública esta reunião.
NOTA FINAL
Agradecemos ao Sr. Pedro Duque as informações que a opinião pública em geral e os sardoalenses em particular têm direito de saber.
Sentimos um gosto amargo na boca e uma grande indignação. Agora que cada um tira suas próprias conclusões.''
Sardoal
Cultura&Progresso
(imagens nossas)
 
Comentário: o Anacleto reedita o tonsurado das seringas
 
 

 



publicado por porabrantes às 15:37 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.11.20

jalg.png

no blogue referido

Dizem-nos que o Anacleto está a pensar nomear o cónego assessor



publicado por porabrantes às 15:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16.11.20

O Professor Salazar e o Cardeal Cerejeira viveram juntos em Coimbra, na célebre República dos Grilos. O futuro Cardeal era catedrático em Letras. Os dois eram protegidos pelo sardoalense Prof. Serras e Silva  e pela sua Santa mulher , a D.Prudência (1) que lhes ensinavam coisas úteis como distinguir o garfo de peixe, do da carne, que no Seminário não lhes tinham ensinado.

prudència 21-8-41.png

A D.Prudência tornou-se super influente nos meios católicos e punha e dispunha, dando ordens ao Cerejeira. A filha, a Carochinha, casou-se com o Soares da Fonseca que foi um vulto importante da Ditadura e foi também muito influente na Corte dos Milagres (como diria Valle Inclan) de S.Bento.

Por volta de 1929 foi tornada Comendadora.

Antes de morrer, escreveu uma carta a Salazar, a quem tratava por ''filho'', expressando a sua última vontade, que o genro fosse feito Ministro, pedido que o Ditador atendeu. José Soares da Fonseca foi o 1º ministro das Corporações e Previdência, em 1950. (2)

José Soares da Fonseca – Wikipédia, a enciclopédia livre

Na sua carta ao Cardeal Cerejeira (1968) , D.António Ferreira Gomes não resistiu em ridicularizar o Purpurado devido ao seu excessivo convívio com a Santa Beata, que era tia do meu amigo João Nuno Serras Pereira. (3)

prudència.png

Espero que me venham dizer que D.António tinha falta de caridade cristã e era dado a trocadilhos de mau gosto. 

d.antónio.jpg

Laos Deo

ma 

(1) Seara Tavares da Costa Serras e Silva- Ver sobre isto Sardoal Com Memória de Luís Gonçalves

(2) Franco Nogueira, Salazar IV, o Ataque, (1945-1958) 

(3) D. António Ferreira Gomes, Carta ao Cardeal Cerejeira - 16 de Julho de 1968. Introdução e notas de José Barreto, Lisboa: D. Quixote, 1996



publicado por porabrantes às 09:23 | link do post | comentar

Domingo, 01.11.20

Nas eleições às Cortes de 1900, os republicanos abrantinos inverteram as alianças. Deixaram de estar aliados aos progressistas, cujos cabos eleitorais eram o Visconde do Tramagal e o Vigário de S.Vicente, Padre Manuel Martins ( que era ademais Advogado respeitado e director da folha católica ''Amador Arraes'')  e defendiam com unhas e dentes o candidato regenerador, o eterno Avellar.  A aliança era tão descarada que o jornal ''O Abrantes'', republicano, não cessava de canonizar Avellar.

avelar (2).jpg

 

Mesmo à boca das urnas, o militar desiste da candidatura, a favor dum para-quedista imposto de Lisboa e é compensado com a nomeação para o cargo vitalício na Câmara Alta, Par do Reino.

E os republicanos atiram foguetes pela escolha do cacique local para a aristocrática câmara!!!!

Furiosos os progressistas, particularmente influentes no conservador Sardoal, mobilizam a padralhada amiga ( os curas estavam divididos  segundo as cores partidárias) e o padre Moura berra a excomunhão de Avellar Machado acusando-o de ateísmo.

Em plena missa, gesticulando como um possesso!

E o chefe do Moura era dos mais antigos maçons da Vila, o poderoso financeiro Mendonça, Visconde do Tramagal.

Não fazia mal, quem era acusado de venerar Belzebu ou seja o Supremo Arquitecto........era Avellar Machado.

alcaravela 23-11-1900.png

Estou  lembrar-me de padres destes, acusando Sá Carneiro, a partir do púlpito de ser um ''adúltero'', recomendando o voto em Eanes, '' homem duma mulher só''.

E depois do sermão, todos catitas, iam juntar-se à amásia na Abrançalha de Baixo ou noutra terriola.

ma

   

    



publicado por porabrantes às 09:09 | link do post | comentar

Sábado, 24.10.20

Além de levar a Santa Casa do Sardoal às ruas da amargura, o Anacleto queria aproveitar a estadia da troika e o governo neo-liberal de Passos Coelho para retalhar o concelho de Abrantes, dividindo o seu território entre os concelhos vizinhos, que historicamente são localidades que se autonomizaram do termo de Abrantes, na Idade Média.

Teríamos as tesouradas do Passos Coelho nos rendimentos do povo e as tesouradas do Anacleto no nosso território. Já sabemos que isso é uma fixação secular dos ''lagartos'', mas vá o homem dar tesouradas na opa do Cónego para o tipo dizer mi$$a em mini-opa e deixe o território de Abrantes em paz......

28-12-2011.png

Anacleto na Assembleia Municipal do Sardoal a 28--12-2011

missa anacleto

 

 



publicado por porabrantes às 13:46 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.10.20

Foi há muito. Não foi o Anacleto........

Com a devida vénia a Antifascistas da Resistência

E a homenagem a outro pedreiro-livre, Fernando Farinha Pereira, que do Oriente Eterno nos contempla, que na mesma Loja obrou pela Luz!

Ver mais maçons abrantinos: Lobato Falcão, Manuel Gonçalves Silveira, neste artigo de Manuela Poitout

fernando farinha (3).png

De seguida, com a devida vénia reproduz-se o post de Helena Pato, nos Anti-Fascistas da Resistência, que nos faz amável referência, que agradecemos.  

 

¡¡RAUL WHEELHOUSE (1901 - ?)
Médico e cirurgião, que se destacou pela sua humanidade e competência, era um antifascista conhecido como republicano convicto, seguidor dos ideais socialistas e um dos dirigentes da Maçonaria Portuguesa (GOL) durante o período em que a ditadura a ilegalizou. Perseguido pelo regime fascista, foi julgado em Tribunal Militar e condenado a degredo nas colónias.
1. Raul Jorge Wheelhouse nasceu a 2 de Novembro de 1901, em São João das Areias, Concelho de Santa Comba Dão, filho de Jorge Wheelhouse e de Maria Vieira dos Santos Wheelhouse. Era casado com Julieta Marques, com quem teve um filho, Jorge Marques Wheelhouse.
Em 1924 terminou a licenciatura em Medicina, na Faculdade de Medicina de Lisboa, e durante dois anos estagiou no Hospital de São José, como cirurgião. Doutorado em Medicina e Cirurgia, em 1925 concorreu e foi nomeado para o lugar de “Facultativo da Câmara do Sardoal”. Em 1929, por ocasião do seu 28º aniversário, foi-lhe prestada homenagem no Sardoal, considerando-o um profissional de raras qualidades, abnegado e competente (1).
Ali exerceu funções até 7 de Maio de 1931, data em que lhe foi instaurado um processo disciplinar pela Câmara Municipal de Sardoal, por razões políticas.
Em Fevereiro de 1933, Wheelhouse começa a exercer clínica no Entroncamento, atividade que iria ver interrompida, por ter sido acusado de pertencer a uma rede conspiratória no Ribatejo, e logo julgado e deportado para Angra do Heroísmo nesse mesmo ano.
Apesar de ter residência e consultório em Lisboa, o Dr. Raul Wheelhouse voltou ao Entroncamento em Janeiro de 1936, retomando a clínica médica, pelo menos durante esse ano, e regressando à actividade maçónica (2).
Manteve-se sempre como médico no Sardoal, até 1975. Quando foi impedido de praticar Medicina nos Hospitais do Estado, passou a exercer clínica privada, abrindo consultório em Lisboa. Porém, aos fins-de-semana e nas férias, durante muitos anos, deu consultas na sua casa do Sardoal, e manteve durante largo período a prática da cirurgia no Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal. Ali continuou a ser recordada a sua grande competência, altruísmo e generosidade para com aqueles que não tinham capacidade económica para pagar os justos honorários que lhe cabiam, reduzindo-os ou abdicando deles totalmente.
2. Raul Wheelhouse era um republicano convicto e profundo seguidor dos ideais socialistas. Foi, desde jovem, um firme opositor do regime de Ditadura instalado após a Revolução de 28 de Maio de 1926. Essa sua posição, de que nunca abdicou, valeu-lhe uma continuada perseguição política, que o levou à prisão, aos 32 anos. Julgado e condenado a dois anos de degredo, cumpriu pena em Angra do Heroísmo, entre 22 de Novembro de 1933 e 5 de Julho de 1935.
Manteve relações de grande amizade com João Soares (pai de Mário Soares) e com muitas figuras prestigiadas da oposição ao regime de Salazar, com destaque para António Sérgio. Foi fundador e Secretário-Geral do MUD (Movimento de Unidade Democrática), participando activamente em movimentos cívicos e iniciativas, que pugnavam pela instauração de um regime democrático em Portugal. Participou nas campanhas para as eleições presidenciais dos candidatos General Norton de Matos (1949) e General Humberto Delgado (1958) [Delgado refugiou-se na sua casa no Sardoal, quando estava perseguido pela PIDE, antes de partir para o exílio no estrangeiro].
Só no início da década de 70 (e mesmo assim com muitas reservas por parte do regime), foi autorizado a exercer Medicina em serviços públicos. Fê-lo na Casa do Povo do Sardoal quando as Caixas de Previdência deram os primeiros passos na prestação de assistência na doença aos trabalhadores rurais.
Por toda uma vida dedicada ao exercício da Medicina, na maior parte do tempo em condições políticas e sociais muito adversas, o Dr. Raul Wheelhouse continua na memória de muitos sardoalenses.
Publicou diversos trabalhos científicos, relacionados com a sua prática cirúrgica.
Notas:
.
(1) Homenagem que teve o apoio das povoações de Carreira do Mato, Cabeça Gorda, Bairro e Medroa. O jornal regional Baluarte associa-se a esta comemoração, destacando os “seus méritos, virtude e faculdades de inteligência e elogiando a obra clínica do cidadão que faz da clínica um sacerdócio, da sua profissão um dever, e para quem os doentes fazem parte integrante da sua família…”
(2) Foi nestas circunstâncias que foi criado um triângulo maçónico no Entroncamento, com pessoas que não eram da terra, nem ali trabalhavam, com exceção de Raul Wheelhouse, que iria ter um consultório médico naquela localidade. Do seu círculo de amizades faziam parte maçons, e por essa via foi Wheelhouse iniciado na maçonaria em agosto de 1931, em Arrifana, na linha do Vale do Vouga, e logo a seguir ajudou a fundar os triângulos n.º 330 do Sardoal e n.º 331 do Entroncamento, todos no mesmo ano.
Quando, em 1936, voltou ao Entroncamento, as atividades maçónicas, a que estivera ligado e que ainda existiam, apenas funcionavam na clandestinidade e o médico era muito vigiado.
[Sobre o «triângulo maçónico» do Entroncamento escreveu Oliveira Marques no seu Dicionário da Maçonaria Portuguesa, que esteve “activo de 1931 até à clandestinidade”].
Biografia da autoria de Helena Pato
Fontes:
- Luís Manuel Gonçalves, Memórias sardoalenses.
- ANTT, Registo Geral de Presos nº 166
.
Fotografia retirada do livro ”Uma História da Maçonaria” do Prof. António Ventura, via Cidadãos Por Abrantes.
La imagen puede contener: una persona, gafas, de traje y primer plano
 
 
 
 

 

   



publicado por porabrantes às 17:19 | link do post | comentar

122143436_181740143520302_8141878123473189999_o.jp

Segundo o Presidente da Freguesia do Sardoal, Miguel Afonso Alves, o Anacleto despede 30 funcionários da Santa Casa.

Isto só terminará quando o Bispo o despedir.

''

Santa Casa da Misericórdia de Sardoal com mais 30 despedimentos.
A juntar à dezena e meia de funcionários que foram dispensados há relativamente pouco tempo da Santa Casa de Misericórdia de Sardoal, hoje chegou-me o relato de pessoas desesperadas que não sabem como será o seu futuro, pois estão os funcionários em causa a serem informados durante o dia de hoje.
Segundo o que pude perceber, serão mais trinta despedimentos.
Para todos eles e as suas famílias, a minha palavra de apreço e coragem, pois temos inclusive pelo menos um casal a serem despedidos em simultâneo.
Apelo à coragem dos decisores que tomem as medidas que devem ser tomadas na salvaguarda do interesse da instituição, mas também dos funcionários e dos seus utentes.
Miguel Alves
Presidente da Junta de Freguesia de Sardoal''
 
Se já tinha despedido 15, neste brilhante exercício de misericórdia cristã e social-democracia: já lá vão 45 trabalhadores.
 
E ao mesmo tempo anda a assinar papelada para negócios com a autarquia de Abrantes, substituindo-se ao Cónego, cujo certificado de registo criminal o impedirá de certas coisas,a partir do trânsito em julgado do Acórdão da Relação de Évora.
ma
foto da Junta do Sardoal 


publicado por porabrantes às 13:12 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19.10.20

Assembleia do Anacleto, amplamente participada, a 26 de Setembro, faltou o Cónego para benzer os presentes....

Ficava mais pio se o homem tivesse metido uma cruz a presidir aos trabalhos.....

 


tags:

publicado por porabrantes às 21:47 | link do post | comentar

Quinta-feira, 08.10.20

Segundo o Médio Tejo, o Vereador Pedro Duque disse, na Sessão da CM Sardoal, que na Quinta do Anacleto só deixavam entrar cavaquistas.

Graças à piedosa gestão do Anacleto e ao apoio de Santa Maria da Caridade, orago da Quinta, o tamanho dela foi minguando e transformou-se num quintal.

Até os neo-cavaquistas querem expulsar o Anacleto de feitor, mas o homem entre ladainhas e música celestial, continua barricado no quintal, no último fortim cavaquista da região.

Uma espécie de aldeia do Astérix para reformados do nacional-catolicismo.

E há quem diga que vão convidar um cónego para irmão e se calhar para novo feitor.

Laos Deo.

ma 


tags:

publicado por porabrantes às 07:58 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30.09.20

Neste estudo, Ricardo Silva, depois de pesquisa no arquivo da Santa Casa do Sardoal, descobre que foi Juan de Castillo, o arquitecto espanhol responsável por grande parte das obras do Convento de Tomar, e depois pelos Jerónimos, que fez o portal da Igreja da Misericórdia do Sardoal. Há vastas referências abrantinas no texto, porque nessas obras andou o pedreiro sardoalense Gaspar Diniz, que assinou o magnífico portal renascença da Igreja da Misericórdia.

Ricardo Silva
147-157

in DAR, 14.4.2020



publicado por porabrantes às 16:08 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

SANTA CASA DA MISERICÓRDI...

Onde está o Anacleto?

Bispo ridiculariza super-...

Padre do Sardoal acusa Av...

Anacleto queria retalhar ...

Fascistas do Sardoal expu...

Anacleto despede 30 no Sa...

A famosa Assembleia Gera...

O quintal do Anacleto

Juan de Castillo no Sardo...

arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds