Segunda-feira, 26.11.18

biografia oficiais ingleses

Para saber a vida de cada um dos principais oficiais britânicos que passaram por Abrantes.

Editado em 2017.

Magnífico.

Preço acessível. À volta de 15 €

mn

 



publicado por porabrantes às 09:25 | link do post | comentar

Quarta-feira, 11.05.16

squire.png

O tenente-coronel Jonh Squire era um engenheiro militar britâncico, que sob ordens de Lord Wellington trabalhou em pontes como esta ao longo do Tejo.

squire 2.png

O diário dele, manuscrito, acaba de ser encontrado à venda na Tasmânia (!), numa loja de velharias e é notícia hoje em todos os medias.

Tàsmânia.png

 Para os excertos reproduzidos presta-se vénia a esta obra que fala de nós

105308.jpg

do Tejo, das pontes e da guerra.Mais coisas para ler.  Podem consultar no Google books.

Falará o diário de Abrantes? É mais que provável....E agora Wellington falando de Strike em Abrantes

wellington.png

Lord Wellington, Dispatches.

ma

Squire foi um dos mais brilhantes engenheiros militares ingleses

 



publicado por porabrantes às 15:32 | link do post | comentar

Domingo, 24.04.16

benjamin d'urban.jpg

 

Uma parte importante do livro retrata a estadia abrantina deste oficial inglês, às ordens de Wellington.

Aqui encontram umas pistas. não só sobre ele, mas também sobre outros ingleses que deixaram memórias sobre as guerras contra Napoleão. São muitos.

Sir Benjamin foi Governador na África do Sul e uma cidade leva o seu nome.

Adivinham qual?

Durban.

mn



publicado por porabrantes às 21:54 | link do post | comentar

Terça-feira, 26.11.13

 

 

 

(...)

 

 

in

 

 

 

mn



publicado por porabrantes às 00:22 | link do post | comentar

Domingo, 03.11.13

O primeiro estudo sério sobre um edifício abrantino foi a monografia de Vítor Pavão dos Santos e Duarte Castel-Branco sobre o Convento de São Domingos. Este estudo encomendado pela CMA no final dos anos 60 não foi publicado, encontrando-se apenas disponível em escassos exemplares policopiados.

Se repararem bem na capa notam-se as fortificações seguindo a escola do grande  engenheiro militar Vauban à volta do convento.

Quem foi o arquitecto que sustentou que elas não existiam? Seria desconhecimento épico ou vontade de as arrasar????

Sobre São Domingos aguarda publicação a tese de mestrado do Dr.Paulo Falcão Tavares.

Sobre outro marcante edifício abrantino, a Casa Almada, baptizada pelo povo Paço Real, porque aí se alojaram alguns monarcas, está disponível  agora impresso e on-line um interessantíssimo estudo, da autoria do eng.José Albuquerque Carreiras, peticionário nº1,   

 O eng. Carreiras é um dos proprietários do imóvel solarengo 

 

 

 

 

 

Pode  obter  aqui o artigo 

 

Encontra-se ainda o solar que foi da família cristã-nova Bívar, muito protegida por Sebastião José de Carvalho e Melo, também em obras de restauro.., pagas pelos seus proprietários.

 

 

Entretanto foram certificados alguns imóveis abrantinos por uma tal Herity, que recebeu copiosos honorários para tal, vindos de fundos públicos.

 

Certificaram São Domingos sem sequer conseguirem produzir qualquer texto de referência sobre o convento e sem se terem dado ao trabalho de verificarem se nos últimos 20 anos houve alguma obra de restauro num edifício com uns quinhentos anos.

 

É obra!!!!!!

 

Também podiam certificar o camartelo com que a Céu e o resto da seita queriam demolir parte do edifício.

 

Com a etiqueta: martelo rupestre.

 

Para acabar: felicita-se o sócio fundador da Tubucci pela publicação deste estudo que vem revolucionar tudo o que se sabia sobre aquela Casa, onde também funcionou episodicamente a autarquia no século XIX e que também serviu de residência a Lord Wellington, coisa que provocou alguma polémica sobre o desaparecimento da Biblioteca da família Bívar alegadamente transportada para Inglaterra em circunstâncias duvidosas.

 

MN

 

 

(créditos: reprodução de parte do estudo citado)

 



publicado por porabrantes às 22:22 | link do post | comentar

Domingo, 27.10.13

Depois duns dias de descanso voltamos à blogosfera. Encarrega-me o Miguel Abrantes de mandar bocas:

 

A revista do sr. dr. Gaspar, notório elemento da sociedade civil, diz  na sua secção de Aniversários: Há 200 anos, a 20 de Janeiro de 1813, o Duque de Wellington deslocou-se a Abrantes. A sua estadia foi paga pela Câmara Municipal''.

 

 

Sempre ''generosa'' esta autarquia......

 

 

Esquece a revista do sr. dr. Gaspar de contextualizar o textozinho, ou seja de explicar o que fazia o cabo de guerra por Abrantes, e o vulgo pode pensar que o prudente e implacável irlandês andava em visita turística, quando marchava para Espanha para expulsar o invasor, ao comando dum exército triplo britânico-luso-espanhol.

 

 

Isso é o menos.

 

 

 

O mais, é que a frase citada pertence  quase inteiramente ao falecido Eduardo Campos  e foi publicada na Cronologia de Abrantes no século XIX, da sua autoria , editada pela CMA, em 2005, infelizmente quando já tinha morrido o Eduardo.

 

 

A obra leva prefácio de Isilda Jana e foi revista (trabalho sempre moroso e dedicado) pelo sr. dr. Francisco Lopes, coisa que se agradece.

 

Cito a frase do Eduardo:  ''Janeiro, 20.O Duque de Wellington deslocou-se a Abrantes. A sua estadia foi paga pela Câmara Municipal''.


Não sei quem é o responsável pela ''adaptação criativa'' do texto do Eduardo......


Portanto assinala-se para que o criativo da próxima vez seja mais cuidadoso. 


Finalmente que dizem os papéis de Lord Wellington sobre a sua estadia em Abrantes a 20-1-1813?




Da correspondência publicada não há nenhuma carta nem despacho do General datada de Abrantes a 20-1-1813.

 

Mas sabemos que de Badajoz foi a Lisboa e regressou depois a Espanha, estando já no caminho de regresso a 22, em Niza. Em 26 já estava no seu posto de comando em Espanha e daí expede carta de tema abrantino para o homem que  governava Portugal, Beresford.

 

 

Por curiosidade transcreve-se o documento:

 

   

 

Os textos reproduzidos constam da obra 

 

 

 

 

Bolas, espero que a Zahara para a próxima, dê o seu a seu dono. 

 

 

MN

 

Finalmente há na Zahara uma coisa que gostei particularmente, o texto do dr. Rolando Silva sobre o escultor  Víctor Marques e o Rui André explica que houve um passado e uma cultura taurina cá em Abrantes.  



publicado por porabrantes às 21:49 | link do post | comentar

Quarta-feira, 25.07.12

Wellington foi o mais ilustre militar que esteve e comandou a Praça de Abrantes. Comandou o exército anglo-luso para expulsar a invasão estrangeira. Sugerimos ao Sr. Comandante da EPC que oficie à Presidente dizendo que deve haver uma Avenida Duque de Wellington cá em Abrantes. Pode-se aproveitar a inauguração para fomentar o turismo militar. Paris tem a Av. EISENHOWER porque o americano daí expulsou os nazis. Vamos ser menos que os franceses ou temos de aturar um que queira a Rua Junot?

Ver traducción

 






posto por SN


NA- um maluco geminado naturalmente, não um maluco como Junot que foi maluco suicida e se atirou por uma janela


publicado por porabrantes às 00:13 | link do post | comentar

Domingo, 05.02.12

 

 

 

Esta é uma das primeiras histórias aos quadradinhos europeias.

 

É uma história encomendada pelos ''whigs'' (o partido anti-Wellington que era ''torie'') para lixar o comandante-em chefe-britânico que derrotara Junot.

 

Sugere ( e é verdade) que pela Convenção de Sintra os franceses se renderam, mas que certas cláusulas do tratado lhes davam direito a levar o saque português (e abrantino) para França e a serem transportados em barcos ingleses até costa francesa.

 

Não vou entrar em polémicas com nenhum  D.Francisco de Almeida de Carnaval acerca se roubaram pouco ou muito em Abrantes.   

 

 

Se alguém se ofender por lhe chamarem Francisco de Almeida de Carnaval (datas em que nada parece mal...) que cerre o bico, porque aqui ponho a foto dele....

 

 

gloriosa produção dos meninos e meninas de todas as idades duma Escola do Tramagal 

 

 

 

in borboletas do Tramagal, um blogue ''fixe'' que vou meter na minha lista de contactos 

 

 

 

 aqui vai a história aos quadradinhos, gamada num ganda blogue que se chama ''as invasões francesas''

 

 

M. de Noronha

 



publicado por porabrantes às 13:47 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Bibliografia abrantina : ...

O manuscrito perdido na T...

Sir Benjamin d'Urban em A...

Massena explica porque nã...

Um estudo sobre a Casa Al...

A visita subsidiada de Lo...

e se um maluco quiser a r...

Portugal e Abrantes a saq...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds